UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (242)

LIDES DE GAIA

No passado dia 6 lá estivemos no Mosteiro de Grijó. Sentados nas bancadas improvisadas, com o conforto possível, assistimos a um espectáculo, excelentemente montado, sobre a história de D. Rodrigo Sanches. Vimo-nos no início da nossa nacionalidade, no mês de Agosto do ano da Graça de 1245, e assistimos à morte do filho bastardo de D. Sancho I e da Ribeirinha (Maria Pais Ribeira).

O espectáculo, coordenado pelo Cónego António Coelho e dirigido pelo Dr. João Sousa (autor do guião) da E. B. Júlio Dinis, foi de qualidade superior, sendo o segundo ano que se realiza no mesmo local, sobre a mesma temática.

Tivemos oportunidade de fotografar o evento, para memória futura.

 

 

GRUPO MUSICAL
ORIGO

 

 

 

ARTE XÁVEGA

Também, no passado Sábado, tivemos oportunidade de visitar e assistir à inauguração da exposição de fotografia de Ricardo Fonseca, “Arte Xávega”, no Museu Municipal de Espinho.

As 56 fotografias que integram esta exposição, foram tiradas por Ricardo Fonseca em 1973 para um concurso de fotografia organizado pela Comissão Municipal de Turismo de Espinho com a colaboração da Associação Fotográfica do Porto, e retratam pormenores do dia-a-dia das gentes da comunidade piscatória, e as dificuldades da vida da Arte da Xávega, de que viviam.

Neste concurso, Ricardo Fonseca foi distinguido com vários prémios de entre os quais o de melhor trabalho sobre a praia de Espinho.

É, na verdade, um espólio de excelência que vos convido a ir visitar.

 

 

 

 

 

 

 

MUSEU MUNICIPAL DE ESPINHO

Instalado na antiga “Fábrica Brandão, Gomes”, o Museu Municipal de Espinho preservando a memória colectiva da comunidade local, é uma instituição de pesquisa e comunicação no âmbito da comunidade piscatória e da industria conserveira de Espinho.

O Bairro da Marinha e a Arte Xávega são os temas de excelência deste espaço.

 

 

.

.

.

 

Cerimónia de entrega de Medalhas da Cidade do Porto

 

 

De entre muitos ilustres condecorados, vejo com satisfação acrescida, ao minuto 2,14 o meu amigo Pedro Matos Chaves.

.

.

.

 

5 Comments

Leave a Reply