Posts Tagged: carlos loures

EDITORIAL – «O saudoso tempo do fascismo»

  O  argonauta e querido Amigo Hélder Costa, deu a um seu livro o título que hoje pedimos emprestado para o editorial – O saudoso tempo do fascismo.  Naturalmente que neste interessante livro de memórias, Hélder Costa não manifesta saudade do

EDITORIAL – «O saudoso tempo do fascismo»

  O  argonauta e querido Amigo Hélder Costa, deu a um seu livro o título que hoje pedimos emprestado para o editorial – O saudoso tempo do fascismo.  Naturalmente que neste interessante livro de memórias, Hélder Costa não manifesta saudade do

O MAPA (A saga do anadel/83)- por Carlos Loures

Os haveres dos prisioneiros, foram, peça por peça, revistados, as bainhas das roupas rasgadas. Em vão. Não encontraram o que buscavam. Ao cabo de muito tempo, desistiram. Nuñez, colocou então assim a questão:          – Se estes perros, não nos

O MAPA (A saga do anadel/83)- por Carlos Loures

Os haveres dos prisioneiros, foram, peça por peça, revistados, as bainhas das roupas rasgadas. Em vão. Não encontraram o que buscavam. Ao cabo de muito tempo, desistiram. Nuñez, colocou então assim a questão:          – Se estes perros, não nos

O MAPA (A saga do anadel/82 – por Carlos Loures

Quando, em 1481, el-rei D. João subiu ao trono, a gesta dos Descobrimentos e da expansão por novos mundos iniciara-se cerca de sessenta anos antes por iniciativa do Infante. Apesar de se ter sido dito que a tentativa de achamento

O MAPA (A saga do anadel/82 – por Carlos Loures

Quando, em 1481, el-rei D. João subiu ao trono, a gesta dos Descobrimentos e da expansão por novos mundos iniciara-se cerca de sessenta anos antes por iniciativa do Infante. Apesar de se ter sido dito que a tentativa de achamento

O MAPA (A saga do anadel/81) – por Carlos Loures

Uma nave castelhana interpor-se no caminho de um barco francês, conduz-nos ao controverso conceito do mare clausum, que legitimava esta intervenção a bordo de uma fusta comercial de um país soberano e poderoso como a França, arrogando-se o direito de

O MAPA (A saga do anadel/81) – por Carlos Loures

Uma nave castelhana interpor-se no caminho de um barco francês, conduz-nos ao controverso conceito do mare clausum, que legitimava esta intervenção a bordo de uma fusta comercial de um país soberano e poderoso como a França, arrogando-se o direito de

O MAPA (A saga do anadel/80)- por Carlos Loures

Mar Mediterrâneo, Outubro de 1487.   No dia seguinte, já em plena viagem, Lourenço achou um esconderijo seguro para o mapa: uma estreita fenda aberta entre uma trave do porão das mercadorias e o tecto. Fê-lo numa altura em que

O MAPA (A saga do anadel/80)- por Carlos Loures

Mar Mediterrâneo, Outubro de 1487.   No dia seguinte, já em plena viagem, Lourenço achou um esconderijo seguro para o mapa: uma estreita fenda aberta entre uma trave do porão das mercadorias e o tecto. Fê-lo numa altura em que

O MAPA (A saga do anadel/79) . por Carlos Loures

Veneza, fim de tarde de segunda-feira, 30 de Setembro de 1487.   As sombras acentuavam-se no interior da tenda de Saul Navarro. O livreiro estava a fazer a limpeza de uma velha versão iluminada do Talmude de Jerusalém, uma súmula

O MAPA (A saga do anadel/79) . por Carlos Loures

Veneza, fim de tarde de segunda-feira, 30 de Setembro de 1487.   As sombras acentuavam-se no interior da tenda de Saul Navarro. O livreiro estava a fazer a limpeza de uma velha versão iluminada do Talmude de Jerusalém, uma súmula

O MAPA (A saga do anadel/78) – por Carlos Loures

   João Dulmo, que bem sabia quem ele era, dissera ao capitão da carraca que o árabe fora arrebanhado numa rusga realizada fora da mouraria de Lisboa, a uma hora a que muçulmanos e judeus não podiam já circular na

O MAPA (A saga do anadel/78) – por Carlos Loures

   João Dulmo, que bem sabia quem ele era, dissera ao capitão da carraca que o árabe fora arrebanhado numa rusga realizada fora da mouraria de Lisboa, a uma hora a que muçulmanos e judeus não podiam já circular na