Posts Tagged: egipto

REVISTA DA SEMANA por Luís Rocha

Revista da semana De 15/11 a 21/11/2015 Como na semana anterior e dado a continuidade de atentados terroristas verificados, a comunicação social deu o maior destaque a essas notícias. Sobre o tema registaram-se vários debates e artigos de opinião. Também

EDITORIAL – AS PENAS DE MORTE NO EGIPTO. A BARBÁRIE QUE NOS ESPREITA.

No Egipto um tribunal condenou à morte 683 pessoas pela morte de um polícia, para além de outras acusações. Entretanto será de recordar que em Março o mesmo  tribunal condenou igualmente à morte 529 pessoas, em condições que terão sido

EDITORIAL – O OCIDENTE CONTRA O EGIPTO

A história dos últimos séculos mostra claramente que o Ocidente esteve quase sempre contra o Egipto. Napoleão Bonaparte, quando partiu para o Egipto em 1798, levava consigo um grande grupo de sábios, fez às suas tropas a famosa declaração sobre

EDITORIAL – O EGIPTO À BEIRA DE UMA GUERRA CIVIL

Não temos a presunção de ser adivinhos. Aliás, só adivinhamos o que é evidente e quando se festejava a queda de Mubarak dissemos por aqui que a alternativa à ditadura de Hosni Mubarak não iria ser uma democracia plena – 

RETRATOS, IMAGENS, SÍNTESE DOS EFEITOS DA CRISE DA ZONA EURO SOBRE CADA PAÍS

Selecção e tradução de Júlio Marques Mota As nuvens amontoam-se sobre os mercados financeiros Georges Ugeux, Julho de 2013, Le Monde   Em poucos dias, vários países fizeram-nos lembrar estas imagens de nuvens negras sobre os mercados até porque a

EDITORIAL – O CERCO AOS PALESTINIANOS E AOS OUTROS POVOS

  Há dias o José Goulão expôs brilhantemente, num artigo publicado em A Viagem dos Argonautas, o drama do Egito, enquadrando-o no xadrez internacional jogado pela “comunidade internacional” e pelos dirigentes imperialistas e neocolonialistas.  Vejam: http://aviagemdosargonautas.net/2013/07/22/mundo-cao-o-egipto-por-jose-goulao/ Entretanto, ontem, John Kerry,

MUNDO CÃO – O EGIPTO – por José Goulão

Foi o maior cenário do movimento a que convencionou chamar-se, com a precipitação inerente aos interesses da propaganda, a “Primavera Árabe”. Basta fazer uma curta viagem de memória através dos resultados actuais dos acontecimentos aglutinados nesse conceito, pela Síria, pela

“as nossas músicas” – Lídia e Luís Rocha – Si j’avais un marteau

Claude François nasceu no ano de 1939 em Alexandria (Egipto). Em 1956 emigrou com a família para o Mónaco e mais tarde para França. O primeiro sucesso deste cantor surgiu em 1962 “Belles, belles, belles”. Outros êxitos se seguiram na