Posts Tagged: independência

AS URNAS, AS LEIS E VICE-VERSA, POR MIGUEL PASQUAU LIAÑO – seleccionado e traduzido por FRANCISCO TAVARES

OBRIGADO A MIGUEL PASQUAU LIAÑO E AO PUBLICO.ES As urnas, as leis e vice-versa, por Miguel Pasquau Liaño Existem vias democráticas para conseguir um referendo legal: constatar formalmente a vontade dos catalães, sem autorização de Rajoy, e a modificação dos

AS URNAS, AS LEIS E VICE-VERSA, POR MIGUEL PASQUAU LIAÑO – seleccionado e traduzido por FRANCISCO TAVARES

OBRIGADO A MIGUEL PASQUAU LIAÑO E AO PUBLICO.ES As urnas, as leis e vice-versa, por Miguel Pasquau Liaño Existem vias democráticas para conseguir um referendo legal: constatar formalmente a vontade dos catalães, sem autorização de Rajoy, e a modificação dos

PODEM, CATALUNHA E A REFUNDAÇÃO DE PODEMOS, por JUAN CARLOS MONEDERO – seleccionado e traduzido por FRANCISCO TAVARES

OBRIGADO A JUAN CARLOS MONEDERO E AO PUBLICO.ES Podem, Catalunha e a refundação de Podemos  Por Juan Carlos Monedero (Comiendo Terra) Publicado por blogs.publico.es em 10/09/2017 Horroroso Ver a Guardia Civil entrar numa empresa de comunicação por razões políticas –

PODEM, CATALUNHA E A REFUNDAÇÃO DE PODEMOS, por JUAN CARLOS MONEDERO – seleccionado e traduzido por FRANCISCO TAVARES

OBRIGADO A JUAN CARLOS MONEDERO E AO PUBLICO.ES Podem, Catalunha e a refundação de Podemos  Por Juan Carlos Monedero (Comiendo Terra) Publicado por blogs.publico.es em 10/09/2017 Horroroso Ver a Guardia Civil entrar numa empresa de comunicação por razões políticas –

EM 28 DE JANEIRO DE 1811, COMEÇOU A LUTA PELA INDEPENDÊNCIA DO URUGUAI

José Artigas, herói nacional do Uruguai à frente de forças patrióticas, desencadeou em 28 de Janeiro de 1811 a luta pela independência. Enfrentou forças castelhanas, portuguesas e brasileiras. Hoje, a República Oriental do Uruguai, localizada no sudeste do continente Sul

EM 28 DE JANEIRO DE 1811, COMEÇOU A LUTA PELA INDEPENDÊNCIA DO URUGUAI

José Artigas, herói nacional do Uruguai à frente de forças patrióticas, desencadeou em 28 de Janeiro de 1811 a luta pela independência. Enfrentou forças castelhanas, portuguesas e brasileiras. Hoje, a República Oriental do Uruguai, localizada no sudeste do continente Sul

EDITORIAL – O SAHARA OCIDENTAL ESQUECIDO

A semana passada faleceu Mohamed Abdelaziz, presidente da RASD – República Árabe Saharaui Democrática e secretário-geral da Frente Popular do Saguia El Hamra e Rio do Ouro, esta mais conhecida por Frente Polisário. Após um período de luto realizar-se-à um

EDITORIAL – O SAHARA OCIDENTAL ESQUECIDO

A semana passada faleceu Mohamed Abdelaziz, presidente da RASD – República Árabe Saharaui Democrática e secretário-geral da Frente Popular do Saguia El Hamra e Rio do Ouro, esta mais conhecida por Frente Polisário. Após um período de luto realizar-se-à um

CARTA DE LISBOA – Diumenge és l’hora – por Pedro Godinho

  Antes das eleições portuguesas de 4 de Outubro, e depois das gregas, outras eleições são relevantes, também, para Portugal. A Catalunha vota a 27 de Setembro – Diumenge és l’hora. Vota pelo direito a votar. Vota pelo direito a

CARTA DE LISBOA – Diumenge és l’hora – por Pedro Godinho

  Antes das eleições portuguesas de 4 de Outubro, e depois das gregas, outras eleições são relevantes, também, para Portugal. A Catalunha vota a 27 de Setembro – Diumenge és l’hora. Vota pelo direito a votar. Vota pelo direito a

CUANDO LA IGNORANCIA CREE QUE NO NECESITA APRENDER (A PABLO IGLESIAS Y TANTI QUANTI) – por Josep A. Vidal

Cuando la ignorancia cree que no necesita aprender (A Pablo Iglesias i tanti quanti) En las recientes elecciones municipales celebradas en España, el líder de Podemos, Pablo Iglesias, hizo su primera gira mitinera por tierras catalanas donde, cómo no, fue

CUANDO LA IGNORANCIA CREE QUE NO NECESITA APRENDER (A PABLO IGLESIAS Y TANTI QUANTI) – por Josep A. Vidal

Cuando la ignorancia cree que no necesita aprender (A Pablo Iglesias i tanti quanti) En las recientes elecciones municipales celebradas en España, el líder de Podemos, Pablo Iglesias, hizo su primera gira mitinera por tierras catalanas donde, cómo no, fue

CARTA DE LISBOA – Catalunha, onde começa e acaba a democracia? – por Pedro Godinho

Hoje é o Dia nacional da Catalunha (Diada). A população da Catalunha é de cerca de 7,5 milhões. Entre 1,5 e 2 milhões (550 mil segundo o governo de Madrid; 1,2 milhões de acordo com a polícia local) de pessoas inundaram

CARTA DE LISBOA – Catalunha, onde começa e acaba a democracia? – por Pedro Godinho

Hoje é o Dia nacional da Catalunha (Diada). A população da Catalunha é de cerca de 7,5 milhões. Entre 1,5 e 2 milhões (550 mil segundo o governo de Madrid; 1,2 milhões de acordo com a polícia local) de pessoas inundaram

CARTA DE LISBOA – E a Catalunha, senhores? – por Pedro Godinho

  Dia 11 de Setembro é a Diada, o dia nacional da Catalunha. Dia 27 de Setembro há eleições autonómicas na Catalunha. As eleições antecipadas têm lugar no contexto das movimentações catalãs para a realização duma consulta sobre a independência

CARTA DE LISBOA – E a Catalunha, senhores? – por Pedro Godinho

  Dia 11 de Setembro é a Diada, o dia nacional da Catalunha. Dia 27 de Setembro há eleições autonómicas na Catalunha. As eleições antecipadas têm lugar no contexto das movimentações catalãs para a realização duma consulta sobre a independência

CARTA DE LISBOA – Votar? Nem pensar, seus libertinos – por Pedro Godinho

    Os Catalães são livres de votar, desde que como os espanhóis mandam.  O voto catalão é de tal modo subversivo que os tanques podem sair à rua, para repor a ordem e a autoridade. Em Espanha em 2014?

CARTA DE LISBOA – Votar? Nem pensar, seus libertinos – por Pedro Godinho

    Os Catalães são livres de votar, desde que como os espanhóis mandam.  O voto catalão é de tal modo subversivo que os tanques podem sair à rua, para repor a ordem e a autoridade. Em Espanha em 2014?

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (62)

FORTE DE SÃO JOÃO BAPTISTA DA FOZ CASTELO DA FOZ O Castelo da Foz, onde em 7 de Junho de 1808 (durante a Guerra Peninsular) se hasteou a bandeira das quinas como primeiro acto de rebelião contra a invasão Napoleónica,

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (62)

FORTE DE SÃO JOÃO BAPTISTA DA FOZ CASTELO DA FOZ O Castelo da Foz, onde em 7 de Junho de 1808 (durante a Guerra Peninsular) se hasteou a bandeira das quinas como primeiro acto de rebelião contra a invasão Napoleónica,

CARTA DE LISBOA – Escócia, Nação valente – por Pedro Godinho

  Valente Escócia. Que mostrou valer muito mais que muitos e do que muitos diziam ela valer. Que não aceitou o domínio como facto consumado e imposto do exterior e exigiu exercer o direito, democrático, de votar sobre a sua governação. Não há liberdade,

CARTA DE LISBOA – Escócia, Nação valente – por Pedro Godinho

  Valente Escócia. Que mostrou valer muito mais que muitos e do que muitos diziam ela valer. Que não aceitou o domínio como facto consumado e imposto do exterior e exigiu exercer o direito, democrático, de votar sobre a sua governação. Não há liberdade,

CARTA DE LISBOA – O Reino Unido da Grã-Ibéria – por Pedro Godinho

    Imaginemos que os conjurados não tinham sido bem-sucedidos em 1640. Ou que, depois daquela revolta, Portugal não aguentava os 28 anos de tentativas de invasão espanhola e tinha saído derrotado das Guerras de Restauração. E que o domínio

CARTA DE LISBOA – O Reino Unido da Grã-Ibéria – por Pedro Godinho

    Imaginemos que os conjurados não tinham sido bem-sucedidos em 1640. Ou que, depois daquela revolta, Portugal não aguentava os 28 anos de tentativas de invasão espanhola e tinha saído derrotado das Guerras de Restauração. E que o domínio

CARTA DE LISBOA – Homens de saias querem mandar em casa – por Pedro Godinho

  Podem homens de saias querer mandar em sua casa? Nos países latinos, logo se encontrará quem diga que por usarem saias não se lhes pode confiar a responsabilidade do mando – coisa para quem veste as calças. Nas terras

CARTA DE LISBOA – Homens de saias querem mandar em casa – por Pedro Godinho

  Podem homens de saias querer mandar em sua casa? Nos países latinos, logo se encontrará quem diga que por usarem saias não se lhes pode confiar a responsabilidade do mando – coisa para quem veste as calças. Nas terras