IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (81)

imagenspoesia1

O SABER DAS MINHAS CÃS

 dsc04688-688x

 

Com ternura

Subo pelo flanco

Em direcção ao leito do rio.

Recolho o orvalho efémero

E provo a delícia súbita das romãs

Com bravura

Escuto o teu breve pranto

E, subindo qual gaivota no vazio

Ou pelo teu torso magro e delicado

Trepo aos ramos mais altos das manhãs

Com candura

Recolho-me no teu doce encanto

Por lá ficando dias a fio

Colhendo framboesas no bosque amado

Regressando à juventude

E ao saber das minhas cãs.

 

 

1 Comment

Leave a Reply