IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (137)

NUM ELÉCTRICO DE COR AMARELA

 

 

A paisagem corre devagar

Vidro embaciado, chuva miudinha

Sorrateira, instalas-te no meu colo

Vieste não sei de onde, és bela

Quase sem querer, começo a amar-te

A correr o teu corpo, sabendo-te minha

Esqueço-me de tudo, tu és meu consolo

És a minha égua, montada sem sela

E, extremo gozo

Ninguém suspeita de ti,

Nua, comigo, aqui

Neste eléctrico de cor amarela

.

.

.

 

About José Fernando Magalhães

Escrevo e fotografo pelo imenso prazer que daí tiro

2 comments

  1. Pingback: IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (137) | joanvergall

  2. Adriano Silva

    Fantástica poesia e foto! Sempre gostei muito de elétricos! Andei muito neles em Coimbra!

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: