UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (231)

 

A LINGUETA DO CANTO DA PONTE

O porto comercial do Porto, possuía vários lugares de amarração de navios, cujos nomes lhes foram dados, na sua maioria, pelas gentes que trabalhavam na barra. Em muitos desses pontos de amarração existiam linguetas para mais facilmente se desenrolarem os trabalhos.

Havia imensos ancoradouros ou fundeadouros e lugares de amarração nas margens do Porto e de Gaia: Alminhas, Escadas das Padeiras, Faria, Terreiro/Estiva, Terreiro, Banhos ou Porta Nova, Escadas e Quadro da Alfandega, Monchique, Cabrea, Oeste da Cabrea, Guindaste Eléctrico, Cais das Pedras, Água, Peixe ou dos Pescadores (Frigorífico do Peixe e actual hélibase), Bacalhoeiros, Frigorífico do Bacalhau, Vasos de Guerra, Bicalho, Shell/Vacuum Oil (actual cais da Secil), Gás/Ouro, Caneiro da Ínsua e Cantareira. Estes do lado do Porto e a começar a montante, na ponte Luís I.

E: Jones, Sandeman, Ramos Pinto, Vanzelleres, Freiras, Elevador, (estes três últimos abrangem o que é hoje o cais de Gaia), Cruz, Fontinha, Senhor da Boa Passagem, Carbonífera, Sto. António do Vale da Piedade, Cavaco, Arrozeira, Lugan, Louça, Afurada e São Paio. Estes na margem de Gaia, e pela mesma ordem.

A Lingueta do Canto da Ponte era uma rampa na margem de Vila Nova de Gaia, por onde  se fazia a circulação de pessoas  e das mercadorias, viessem elas transportadas quer por embarcações oceânicas quer por fluviais. Ficava situada mesmo junto à Ponte Pênsil e ao tabuleiro inferior da Ponte Luís I.

LINGUETA DO CANTO DA PONTE, OU DO JONES

 

O local também era conhecido por cais do Jones ou de D. Luís e dava o nome à amarração ou ancoradouro do cais do Jones, de D. Luís ou do Canto da Ponte. Era uma zona muito receada pelos pilotos da barra, devido à sua grande proximidade a ambas as pontes. Lembremo-nos que a duas pontes coexistiram durante algum tempo.

PONTE PÊNSIL E PONTE LUÍS I JUNTAS – Fotografia de George Tait

 

É interessante o facto de ao cais e à lingueta também lhes ser dado o nome de Jones e quase ninguém os reconhecer por qualquer um dos outros.  De facto, Joseph Jones era um importante cidadão inglês, negociante e consignatário de mercadorias e importador de carregamentos de bacalhau, em nome do qual, aquela lingueta, estava registada. Daí o nome popular da zona. Em 1835, por certo devido à sua importância, encontramo-lo como secretário da Associação Comercial do Porto. 

 

LINGUETAS DA CANTAREIRA

 

 

ABRIU UMA NOVA LOJA PARA GUARDAR AS MALAS DOS NOSSOS TURISTAS

OPORTO BAGS FREE

Muito perto da Casa da Música, e no meio de imensos Hotéis, Hostels e Apartamentos de Aluguer de Pequena Duração, abriu uma loja que guarda as malas dos turistas enquanto eles deambulam pela cidade, esperando fazer 0 “check in” ou após o “check out” enquanto esperam pelo retorno ao aeroporto ou a outro meio de transporte.

Autocarros e Metro são ali mesmo ao lado.

Uma mais valia para a mobilidade de quem nos visita. E, isto é também válido para quem precisar de guardar bicicletas ou outros quaisquer objectos, durante um determinado período de tempo, ou para quem quiser dar uma volta de bicicleta (também as alugam).

OPORTO BAGS FREE

 

 

 

CAMPANHÃ

HOMENAGEM AO DR. JOSÉ VALLE DE FIGUEIREDO

No dia 25 de Abril, e durante as comemorações que a Junta de Freguesia de Campanhã promove todos os anos, foram homenageadas várias Personalidades e Instituições consideradas relevantes para aquela Freguesia.

 

 

A PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE CAMPANHÃ, SANDRA SANTOS, E O PRESIDENTE DA JUNTA DA MESMA FREGUESIA, ERNESTO SANTOS

 

Foram homenageados no magnífico Auditório da Freguesia, completamente cheio, pela área da Acção Social, a Universidade Fernando Pessoa, pela do Associativismo, a Associação Cultural e Desportiva Bairro do Falcão, e Pedro Manuel da Silva Moreira, pela do Desporto, o Bushido Dojo Clube Karaté de Campanhã, pela da Cidadania, D. Aldina de Jesus Pinheiro, e Óscar Pereira de Magalhães, e pela da Cultura, Francisco Ferreira Nogueira Cardoso, e o Dr. José Valle de Figueiredo.

 

 

O DR. JOSÉ VALLE DE FIGUEIREDO A RECEBER DAS MÃOS DO VOGAL PARA A EDUCAÇÃO, UMA PEÇA DE ARTESANATO, AUTORIA DE UMA ARTISTA LOCAL

 

Som do agradecimento do Dr. José Valle de Figueiredo

 

A abrilhantar a sessão, ouvimos o Quarteto de Violoncelos do Ensino Articulado de Música da EBS do Cerco do Porto

 

A MESA DE HONRA E, VIRADOS PARA O IMENSO PÚBLICO, OS QUATRO ELEMENTOS DO QUARTETO DE VIOLONCELOS DO ENSINO ARTICULADO DE MÚSICA DA EBS DO CERCO DO PORTO

 

Som da Actuação do Quarteto de Violoncelos

.

.

.

.

 

.

.

.

About José Fernando Magalhães

Escrevo e fotografo pelo imenso prazer que daí tiro

One comment

  1. Pingback: UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (231) | joanvergall

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: