Posts Tagged: douro

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (231)

  A LINGUETA DO CANTO DA PONTE O porto comercial do Porto, possuía vários lugares de amarração de navios, cujos nomes lhes foram dados, na sua maioria, pelas gentes que trabalhavam na barra. Em muitos desses pontos de amarração existiam

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (231)

  A LINGUETA DO CANTO DA PONTE O porto comercial do Porto, possuía vários lugares de amarração de navios, cujos nomes lhes foram dados, na sua maioria, pelas gentes que trabalhavam na barra. Em muitos desses pontos de amarração existiam

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (98)

VIVA O PORTO     Na minha cidade Nasce o Norte insubmisso E gente de rostos rugosos Falando com impropérios Nasce o regionalismo com viço E com a sua luz, nos belos invernos chuvosos Também nascem os mistérios A minha

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (98)

VIVA O PORTO     Na minha cidade Nasce o Norte insubmisso E gente de rostos rugosos Falando com impropérios Nasce o regionalismo com viço E com a sua luz, nos belos invernos chuvosos Também nascem os mistérios A minha

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (154)

  O ILHÉU DO FRADE São Lendas, senhores, são Lendas, e fazem parte das nossas memórias, arqueológicas e culturais, e também da nossa História.   O ilhéu do Frade, sapal de aves do rio Douro, fica em frente à foz

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (154)

  O ILHÉU DO FRADE São Lendas, senhores, são Lendas, e fazem parte das nossas memórias, arqueológicas e culturais, e também da nossa História.   O ilhéu do Frade, sapal de aves do rio Douro, fica em frente à foz

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (149)

            Porto Welcome Center é a maior loja de turismo do Mundo   PASSAPORTE PORTO  

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (149)

            Porto Welcome Center é a maior loja de turismo do Mundo   PASSAPORTE PORTO  

UMA CARTA DO PORTO: Por José Magalhães (131)

O QUARTEL DE SÃO BRÁS – O ESTADO DO PATRIMÓNIO   Esquecido e abandonado, o quartel de São Brás, desactivado em 1993 pelo Estado-Maior do Exército, foi construído no mesmo local onde houvera um fortim consagrado ao mesmo santo, nos

UMA CARTA DO PORTO: Por José Magalhães (131)

O QUARTEL DE SÃO BRÁS – O ESTADO DO PATRIMÓNIO   Esquecido e abandonado, o quartel de São Brás, desactivado em 1993 pelo Estado-Maior do Exército, foi construído no mesmo local onde houvera um fortim consagrado ao mesmo santo, nos

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (124)

O SENHOR ARTUR   Artur, divorciado mas a viver maritalmente com Joana, sem filhos desta união, atravessava o Jardim do Passeio Alegre, na Foz do Douro, com passo apressado. Era a sua maneira de andar, sempre o fora, um andar

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (124)

O SENHOR ARTUR   Artur, divorciado mas a viver maritalmente com Joana, sem filhos desta união, atravessava o Jardim do Passeio Alegre, na Foz do Douro, com passo apressado. Era a sua maneira de andar, sempre o fora, um andar

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (120)

O DUQUE DE WELLINGTON O Ducado de Wellington, em Somerset, é um título hereditário e o ducado mais antigo do Reino Unido. O primeiro detentor do título foi Arthur Colley Wellesley, 1° Duque de Wellington, (Dublin, 29 de Abril de

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (120)

O DUQUE DE WELLINGTON O Ducado de Wellington, em Somerset, é um título hereditário e o ducado mais antigo do Reino Unido. O primeiro detentor do título foi Arthur Colley Wellesley, 1° Duque de Wellington, (Dublin, 29 de Abril de

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (118)

A CAPELA DE MONTEBELO Subindo a rua do Amparo, vindo da Praça das Flores, encontramos à nossa esquerda a rua de Câmara Pestana. Essa rua, que já se chamou de Montebelo, tem, no seu ponto mais alto, uma das mais

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (118)

A CAPELA DE MONTEBELO Subindo a rua do Amparo, vindo da Praça das Flores, encontramos à nossa esquerda a rua de Câmara Pestana. Essa rua, que já se chamou de Montebelo, tem, no seu ponto mais alto, uma das mais

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (98)

BARCOS DE FÓRMULA 1 JÁ ESTÃO NA NOSSA CIDADE Vamos ter uma corrida intimista! A nossa, é uma das poucas em que se poderá ver a corrida em toda a sua extensão. As margens do Douro assim o permitem. Esperam-se

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (98)

BARCOS DE FÓRMULA 1 JÁ ESTÃO NA NOSSA CIDADE Vamos ter uma corrida intimista! A nossa, é uma das poucas em que se poderá ver a corrida em toda a sua extensão. As margens do Douro assim o permitem. Esperam-se

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (90)

O RIO DOURO Um dos maiores rios da Península Ibérica nasce em Espanha, na serra de Urbião, e tem um comprimento total de 938 quilómetros, dos quais só 200 se encontram em Portugal. Falo do rio Douro, cuja bacia hidrográfica

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (90)

O RIO DOURO Um dos maiores rios da Península Ibérica nasce em Espanha, na serra de Urbião, e tem um comprimento total de 938 quilómetros, dos quais só 200 se encontram em Portugal. Falo do rio Douro, cuja bacia hidrográfica

APRESENTAÇÃO DE “ALVES REDOL E O DOURO – CORRESPONDÊNCIA PARA FRANCISCO TAVARES TELES” – organização de GASPAR MARTINS PEREIRA – 22 de NOVEMBRO, às 16 horas – JUNTA DE FREGUESIA DE VILAFRANCA DE XIRA

Informação de António Redol: Junto enviamos informação complementar sobre a apresentação do livro referente a Alves Redol e o Douro. 1) O Prof. Dr. António Monteiro Cardoso é historiador, natural do Douro e é profundo conhecedor da região. Analisou pormenorizadamente os livros do

APRESENTAÇÃO DE “ALVES REDOL E O DOURO – CORRESPONDÊNCIA PARA FRANCISCO TAVARES TELES” – organização de GASPAR MARTINS PEREIRA – 22 de NOVEMBRO, às 16 horas – JUNTA DE FREGUESIA DE VILAFRANCA DE XIRA

Informação de António Redol: Junto enviamos informação complementar sobre a apresentação do livro referente a Alves Redol e o Douro. 1) O Prof. Dr. António Monteiro Cardoso é historiador, natural do Douro e é profundo conhecedor da região. Analisou pormenorizadamente os livros do

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (36)

O PIRATA AZUL “Pirata Azul” é nome de barco. Ao vê-lo, há cerca de um mês, uma avalanche de memórias, atabalhoadas e difusas, assaltaram-me de supetão. O “Pirata” estava ali, ancorado, mesmo à minha frente, e a seu lado, o

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (36)

O PIRATA AZUL “Pirata Azul” é nome de barco. Ao vê-lo, há cerca de um mês, uma avalanche de memórias, atabalhoadas e difusas, assaltaram-me de supetão. O “Pirata” estava ali, ancorado, mesmo à minha frente, e a seu lado, o

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (34)

FUI TURISTA NA MINHA CIDADE Tem dias em que a vontade que me dá é a de passear pela cidade e fazer coisas diferentes. Na segunda-feira passada, foi um dia assim. Aproveitei o último dia das férias da Páscoa do

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (34)

FUI TURISTA NA MINHA CIDADE Tem dias em que a vontade que me dá é a de passear pela cidade e fazer coisas diferentes. Na segunda-feira passada, foi um dia assim. Aproveitei o último dia das férias da Páscoa do

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (32)

AS PONTES DO PORTO Se há coisas que nos caracterizam, são as nossas pontes. Temos seis, para quase todos os gostos e feitios. Umas de ferro, relíquias mais do que centenárias e outras de betão, elegantes e perfeitas tecnicamente. Umas

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (32)

AS PONTES DO PORTO Se há coisas que nos caracterizam, são as nossas pontes. Temos seis, para quase todos os gostos e feitios. Umas de ferro, relíquias mais do que centenárias e outras de betão, elegantes e perfeitas tecnicamente. Umas