Posts Tagged: comissão europeia

A responsabilidade da esquerda na trajetória de ascensão do neoliberalismo – algumas grelhas de leitura – 7. A leitura de Stuart Holland – De Delors a Guterres – e Macron: políticas alternativas para a Europa (1/2)

  Seleção e tradução de Júlio Marques Mota   7. De Delors a Guterres – e Macron: políticas alternativas para a Europa (1/2)  Por Stuart Holland, em janeiro de 2019   Resumo Dada a derrota da esquerda do arco do poder

A responsabilidade da esquerda na trajetória de ascensão do neoliberalismo – algumas grelhas de leitura – 7. A leitura de Stuart Holland – De Delors a Guterres – e Macron: políticas alternativas para a Europa (1/2)

  Seleção e tradução de Júlio Marques Mota   7. De Delors a Guterres – e Macron: políticas alternativas para a Europa (1/2)  Por Stuart Holland, em janeiro de 2019   Resumo Dada a derrota da esquerda do arco do poder

A responsabilidade da esquerda na trajetória de ascensão do neoliberalismo – algumas grelhas de leitura – 6. A leitura de François Ruffin – A semana em que a esquerda virou à direita (2/2)

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 6. A semana em que a esquerda virou à direita (2/2) Por François Ruffin Publicado por jornal , em 30 de junho de 2016 _______________________________ Nota do editor: este texto é a edição

A responsabilidade da esquerda na trajetória de ascensão do neoliberalismo – algumas grelhas de leitura – 6. A leitura de François Ruffin – A semana em que a esquerda virou à direita (2/2)

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 6. A semana em que a esquerda virou à direita (2/2) Por François Ruffin Publicado por jornal , em 30 de junho de 2016 _______________________________ Nota do editor: este texto é a edição

A responsabilidade da esquerda na trajetória de ascensão do neoliberalismo – algumas grelhas de leitura – 6. A leitura de François Ruffin – A semana em que a esquerda virou à direita (1/2)

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 6. A semana em que a esquerda virou à direita (1/2) Por François Ruffin Publicado por jornal , em 30 de junho de 2016 _______________________________ Nota do editor: este texto é a edição

A responsabilidade da esquerda na trajetória de ascensão do neoliberalismo – algumas grelhas de leitura – 6. A leitura de François Ruffin – A semana em que a esquerda virou à direita (1/2)

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 6. A semana em que a esquerda virou à direita (1/2) Por François Ruffin Publicado por jornal , em 30 de junho de 2016 _______________________________ Nota do editor: este texto é a edição

A responsabilidade da esquerda na trajetória de ascensão do neoliberalismo – algumas grelhas de leitura – 5. A leitura de Rawi Abdelal – O consenso de Paris: a França e as regras da finança mundializada (4/4)

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota _______________________________ Nota do editor: este texto é a edição revista do texto que foi publicado em A Viagem dos Argonautas entre os dias 30 de junho e 6 de julho de 2017, integrado

A responsabilidade da esquerda na trajetória de ascensão do neoliberalismo – algumas grelhas de leitura – 5. A leitura de Rawi Abdelal – O consenso de Paris: a França e as regras da finança mundializada (4/4)

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota _______________________________ Nota do editor: este texto é a edição revista do texto que foi publicado em A Viagem dos Argonautas entre os dias 30 de junho e 6 de julho de 2017, integrado

A responsabilidade da esquerda na trajetória de ascensão do neoliberalismo – algumas grelhas de leitura – 5. A leitura de Rawi Abdelal – O consenso de Paris: a França e as regras da finança mundializada (3/4)

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota _______________________________ Nota do editor: este texto é a edição revista do texto que foi publicado em A Viagem dos Argonautas entre os dias 30 de junho e 6 de julho de 2017, integrado

A responsabilidade da esquerda na trajetória de ascensão do neoliberalismo – algumas grelhas de leitura – 5. A leitura de Rawi Abdelal – O consenso de Paris: a França e as regras da finança mundializada (3/4)

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota _______________________________ Nota do editor: este texto é a edição revista do texto que foi publicado em A Viagem dos Argonautas entre os dias 30 de junho e 6 de julho de 2017, integrado

A responsabilidade da esquerda na trajetória de ascensão do neoliberalismo – algumas grelhas de leitura – 5. A leitura de Rawi Abdelal – O consenso de Paris: a França e as regras da finança mundializada (2/4)

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota _______________________________ Nota do editor: este texto é a edição revista do texto que foi publicado em A Viagem dos Argonautas entre os dias 30 de junho e 6 de julho de 2017, integrado

A responsabilidade da esquerda na trajetória de ascensão do neoliberalismo – algumas grelhas de leitura – 5. A leitura de Rawi Abdelal – O consenso de Paris: a França e as regras da finança mundializada (2/4)

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota _______________________________ Nota do editor: este texto é a edição revista do texto que foi publicado em A Viagem dos Argonautas entre os dias 30 de junho e 6 de julho de 2017, integrado

A responsabilidade da esquerda na trajetória de ascensão do neoliberalismo – algumas grelhas de leitura – 5. A leitura de Rawi Abdelal – O consenso de Paris: a França e as regras da finança mundializada (1/4)

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota _______________________________ Nota do editor: este texto é a edição revista do texto que foi publicado em A Viagem dos Argonautas entre os dias 30 de junho e 6 de julho de 2017, integrado

A responsabilidade da esquerda na trajetória de ascensão do neoliberalismo – algumas grelhas de leitura – 5. A leitura de Rawi Abdelal – O consenso de Paris: a França e as regras da finança mundializada (1/4)

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota _______________________________ Nota do editor: este texto é a edição revista do texto que foi publicado em A Viagem dos Argonautas entre os dias 30 de junho e 6 de julho de 2017, integrado

De setembro de 2008 a setembro de 2018, uma década perdida, uma década que se quer esquecida – Narrativas sobre a incapacidade, a recusa e a desonestidade intelectual dos nossos dirigentes face aos mecanismos que levaram à crise – 1. A narrativa delirante da União Europeia sobre a crise.

10 anos passaram desde o rebentamento da crise, mesmo que o ponto de referência seja setembro de 2007 quando o BNP Paribas fechou três dos seus fundos de investimento nos Estados Unidos. Um ano depois o Lehman Brothers era declarado

De setembro de 2008 a setembro de 2018, uma década perdida, uma década que se quer esquecida – Narrativas sobre a incapacidade, a recusa e a desonestidade intelectual dos nossos dirigentes face aos mecanismos que levaram à crise – 1. A narrativa delirante da União Europeia sobre a crise.

10 anos passaram desde o rebentamento da crise, mesmo que o ponto de referência seja setembro de 2007 quando o BNP Paribas fechou três dos seus fundos de investimento nos Estados Unidos. Um ano depois o Lehman Brothers era declarado

CARTA DE BRAGA – “Post-it na tampa do computador” – por ANTÓNIO OLIVEIRA

    A Comissão Europeia afirma que Portugal tem mais de 700.000 trabalhadores com contratos a prazo ou ainda mais precários, apesar de estarem ‘involuntariamente’ nessa situação! (muito espanta este ‘involuntariamente’, vindo de onde vem!) Espanto fundamentado pois a notícia

CARTA DE BRAGA – “Post-it na tampa do computador” – por ANTÓNIO OLIVEIRA

    A Comissão Europeia afirma que Portugal tem mais de 700.000 trabalhadores com contratos a prazo ou ainda mais precários, apesar de estarem ‘involuntariamente’ nessa situação! (muito espanta este ‘involuntariamente’, vindo de onde vem!) Espanto fundamentado pois a notícia

SOBRE A EUROPA, SOBRE PORTUGAL E TALVEZ TAMBÉM SOBRE O SPORTING – 3. A economia alemã tropeça enquanto a Europa sofre um retrocesso no crescimento. Por Piotr Skolimowski

  Nuvens bem negras sobre a Europa, sobre o mundo, enquanto lhe vendem a esperança dos amanhãs que cantam     Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 3. A economia alemã tropeça enquanto a Europa sofre um retrocesso no

SOBRE A EUROPA, SOBRE PORTUGAL E TALVEZ TAMBÉM SOBRE O SPORTING – 3. A economia alemã tropeça enquanto a Europa sofre um retrocesso no crescimento. Por Piotr Skolimowski

  Nuvens bem negras sobre a Europa, sobre o mundo, enquanto lhe vendem a esperança dos amanhãs que cantam     Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 3. A economia alemã tropeça enquanto a Europa sofre um retrocesso no

ASSOCIAÇÃO DE COMBATE À PRECARIEDADE – PRECÁRIOS INFLEXÍVEIS – MAIS PRECARIEDADE E DESEMPREGO ENTRE OS JOVENS, APESAR DE O EMPREGO ESTAR A AUMENTAR NA UNIÃO EUROPEIA

3 de Setembro de 2017 A edição de 2017 da Análise Anual do Emprego e da Situação Social, elaborada pela Comissão Europeia, regista o aumento do emprego na União Europeia. Os níveis de desemprego são ainda um desastre social, mas

ASSOCIAÇÃO DE COMBATE À PRECARIEDADE – PRECÁRIOS INFLEXÍVEIS – MAIS PRECARIEDADE E DESEMPREGO ENTRE OS JOVENS, APESAR DE O EMPREGO ESTAR A AUMENTAR NA UNIÃO EUROPEIA

3 de Setembro de 2017 A edição de 2017 da Análise Anual do Emprego e da Situação Social, elaborada pela Comissão Europeia, regista o aumento do emprego na União Europeia. Os níveis de desemprego são ainda um desastre social, mas

DE POL POT AO GOLDMAN SACHS – UMA TRAJETÓRIA QUE É CHANCELA DESTA UE – OS VERDADEIROS BASTIDORES DE BRUXELAS, por JEAN-LUC GRÉAU

Selecção e tradução por Júlio Marques Mota Os verdadeiros bastidores de Bruxelas Jean-Luc Gréau, Les vraies coulisses de Bruxelles  –  Quand même Zemmour n’y va pas assez fort Revista Causeur.fr, 6 de Dezembro de 2016   O escândalo da falta de

DE POL POT AO GOLDMAN SACHS – UMA TRAJETÓRIA QUE É CHANCELA DESTA UE – OS VERDADEIROS BASTIDORES DE BRUXELAS, por JEAN-LUC GRÉAU

Selecção e tradução por Júlio Marques Mota Os verdadeiros bastidores de Bruxelas Jean-Luc Gréau, Les vraies coulisses de Bruxelles  –  Quand même Zemmour n’y va pas assez fort Revista Causeur.fr, 6 de Dezembro de 2016   O escândalo da falta de

EDITORIAL –  TRUMP NÃO ESTÁ SÓ

Tem sido sublinhado em várias instâncias, a propósito das eleições norte-americanas, o quão estranho é que uma pessoa como Donald Trump consiga ir tão longe na sua candidatura e, ao fim e ao cabo, a menos de uma semana do

EDITORIAL –  TRUMP NÃO ESTÁ SÓ

Tem sido sublinhado em várias instâncias, a propósito das eleições norte-americanas, o quão estranho é que uma pessoa como Donald Trump consiga ir tão longe na sua candidatura e, ao fim e ao cabo, a menos de uma semana do

NO CORAÇÃO DAS TREVAS, AS GRANDES INSTITUIÇÕES INTERNACIONAIS, E NÓS À PROCURA DA LUZ AO FUNDO DO TÚNEL COMO SAÍDA PARA A CRISE? IMPOSSÍVEL – 3. PORQUE É QUE A FIRMEZA DE BRUXELAS CONTRA A ESPANHA E PORTUGAL É UM ENORMÍSSIMO ERRO – por ROMARIC GODIN

Uma série sobre o caminho da agonia do capitalismo Selecção, tradução e nota introdutória de Júlio Marques Mota   Porque é que a firmeza de Bruxelas contra a Espanha e Portugal é um enormíssimo erro   Romaric Godin, Pourquoi la fermeté

NO CORAÇÃO DAS TREVAS, AS GRANDES INSTITUIÇÕES INTERNACIONAIS, E NÓS À PROCURA DA LUZ AO FUNDO DO TÚNEL COMO SAÍDA PARA A CRISE? IMPOSSÍVEL – 3. PORQUE É QUE A FIRMEZA DE BRUXELAS CONTRA A ESPANHA E PORTUGAL É UM ENORMÍSSIMO ERRO – por ROMARIC GODIN

Uma série sobre o caminho da agonia do capitalismo Selecção, tradução e nota introdutória de Júlio Marques Mota   Porque é que a firmeza de Bruxelas contra a Espanha e Portugal é um enormíssimo erro   Romaric Godin, Pourquoi la fermeté