Posts Tagged: mercados financeiros

Sobre o que foi o ano de 2018, sobre os perigos que nos ameaçam em 2019 – uma pequena série de textos. 8. Duas grandes linhas de falha para 2019 – Parte II

(Por Victor Hill, 07 de Janeiro de 2019)

A tentativa de Monsieur Macron de reconfigurar o aparelho de segurança ocidental, apoiada pela chanceler alemão cessante e cada vez mais fraca, faz dele uma figura muito mais perigosa do que Trump. Está agora claro que a aliança franco-alemã está a tentar empurrar a Europa – e particularmente os 18 países da zona euro – no sentido da harmonização fiscal (o que significa um orçamento comum e impostos idênticos) e da união política – tudo isto com uma identidade de defesa comum.

Sobre o que foi o ano de 2018, sobre os perigos que nos ameaçam em 2019 – uma pequena série de textos. 8. Duas grandes linhas de falha para 2019 – Parte II

(Por Victor Hill, 07 de Janeiro de 2019)

A tentativa de Monsieur Macron de reconfigurar o aparelho de segurança ocidental, apoiada pela chanceler alemão cessante e cada vez mais fraca, faz dele uma figura muito mais perigosa do que Trump. Está agora claro que a aliança franco-alemã está a tentar empurrar a Europa – e particularmente os 18 países da zona euro – no sentido da harmonização fiscal (o que significa um orçamento comum e impostos idênticos) e da união política – tudo isto com uma identidade de defesa comum.

Sobre o que foi o ano de 2018, sobre os perigos que nos ameaçam em 2019 – uma pequena série de textos. 8. Duas grandes linhas de falha para 2019 – Parte I

(Por Victor Hill, 07 de Janeiro de 2019)

A meu ver, a guerra comercial entre os EUA e a China ainda agora começou. Ela pode vir a ser, em décadas, o prenúncio de um tipo de guerra bem mais letal.

Sobre o que foi o ano de 2018, sobre os perigos que nos ameaçam em 2019 – uma pequena série de textos. 7. O ano em que iremos viver perigosamente

.(Por John Mauldin, 04 de Janeiro de 2019)

Lembram-se quando em Janeiro havia um ritual que era preencher os votos de Ano Novo sobre os nossos cheques em branco? Se têm menos de 50 anos, provavelmente não se lembram. Que agora podemos evitar essa tarefa é um dos pequenos prazeres não cantados da vida. Mas esta época do ano está a chegar e por pedido de muitos leitores sinto-me na obrigação de dizer o que acho que 2019 nos vai trazer.

Sobre o que foi o ano de 2018, sobre os perigos que nos ameaçam em 2019 – uma pequena série de textos. 7. O ano em que iremos viver perigosamente

.(Por John Mauldin, 04 de Janeiro de 2019)

Lembram-se quando em Janeiro havia um ritual que era preencher os votos de Ano Novo sobre os nossos cheques em branco? Se têm menos de 50 anos, provavelmente não se lembram. Que agora podemos evitar essa tarefa é um dos pequenos prazeres não cantados da vida. Mas esta época do ano está a chegar e por pedido de muitos leitores sinto-me na obrigação de dizer o que acho que 2019 nos vai trazer.

Sobre o que foi o ano de 2018, sobre os perigos que nos ameaçam em 2019 – uma pequena série de textos. 6. Esta foi a pior semana para o mercado de ações desde a crise financeira de 2008

(Por Michael Snyder, 22 de Dezembro de 2018)

Uma coisa semelhante está a acontecer  na Europa, onde as ações estão no ritmo do seu pior ano desde 2008.  Estamos a assistir  a um verdadeiro colapso global, e milhões de milhões de dólares de riqueza em ativos  estão a ser levados pela água abaixo.

Da crise atual à próxima crise, sinais de alarme – De onde é que irá disparar a próxima crise? Por The Economist

Seleção de Júlio Marques Mota e tradução de Francisco Tavares De onde é que irá disparar a próxima crise? O endividamento das empresas poderá ser a causa. Por Buttonwood Publicado por  em 3 de maio de 2018   As taxas

Homenagem ao Carlos Tenreiro, uma série de textos sobre questões de macroeconomia e de alta finança – 8. DERIVADOS – receita para o desastre e para o colapso sistémico. Por Egon von Greyerz

  Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 8. DERIVADOS – receita para o desastre e para o colapso sistémico  Por Egon von Greyerz    em em 15 de março de 2018   O jogo é, de acordo com a Wikipedia, a aposta

Homenagem ao Carlos Tenreiro, uma série de textos sobre questões de macroeconomia e de alta finança – 6. Ninguém pensa que isto possa voltar a acontecer. Por Doug Noland

  Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 6. Ninguém pensa que isto possa voltar a acontecer Por Doug Noland  Publicado por  em 17 de março de 2018 WSJ [Wall Street Journal]:“Dez anos após o resgate do Bear Stearns, ninguém acha

Trickle down ou trickle up eis a questão. E qual tem sido a opção? Parte II – 32. Estranhas histórias neste mês de fevereiro em que me senti um pouco mais velho. Em conclusão da série “Trickle down ou trickle up eis a questão. E qual tem sido a opção?” três textos de Tyler Durden em torno da turbulência dos mercados de capitais

Uma nova série sobre as novas tempestades que se vislumbram já no horizonte  Seleção e tradução de Júlio Marques Mota Parte II – 32. Estranhas histórias neste mês de fevereiro em que me senti um pouco mais velho. Em conclusão

Trickle down ou trickle up eis a questão. E qual tem sido a opção?Parte II – 31. Os relatórios sobre a minha morte foram largamente exagerados (2ª parte-conclusão). Por The Heisenberg 

Uma nova série sobre as novas tempestades que se vislumbram já no horizonte  Seleção e tradução de Júlio Marques Mota Parte II – 31. Os relatórios sobre a minha morte foram largamente exagerados (2ª parte-conclusão) Por The Heisenberg  Publicado por 

Trickle down ou trickle up eis a questão. E qual tem sido a opção? Parte II – 31. Os relatórios sobre a minha morte foram largamente exagerados (1ª parte). Por The Heisenberg

Uma nova série sobre as novas tempestades que se vislumbram já no horizonte  Seleção e tradução de Júlio Marques Mota Parte II – 31. Os relatórios sobre a minha morte foram largamente exagerados (1ª parte) Por The Heisenberg  Publicado por 

Trickle down ou trickle up eis a questão. E qual tem sido a opção? Parte II – 30. A Goldman escreve uma carta aos seus clientes: “Pensamos que deve atualmente estar mais preocupado em vender do que em comprar”. Por Therealheisenberg 

Uma nova série sobre as novas tempestades que se vislumbram já no horizonte  Seleção e tradução de Júlio Marques Mota Parte II – 30. A Goldman escreve uma carta aos seus clientes: “Pensamos que deve atualmente estar mais preocupado em vender

Trickle down ou trickle up eis a questão. E qual tem sido a opção? Parte II – 29. Pode o leitor sentir a tensão? Tome um bom uísque, a história diz-nos que esta correção pode tornar-se ainda mais profunda. Por therealheisenberg

Uma nova série sobre as novas tempestades que se vislumbram já no horizonte  Seleção e tradução de Júlio Marques Mota Parte II – 29. Pode o leitor sentir a tensão? Tome um bom uísque, a história diz-nos que esta correção

Trickle down ou trickle up eis a questão. E qual tem sido a opção?Parte II – 28. Um passeio selvagem em 2018: estará a bolha apenas a começar?  Por The Economist , Buttonwood’s notebook

Uma nova série sobre as novas tempestades que se vislumbram já no horizonte  Seleção e tradução de Júlio Marques Mota Parte II – 28. Um passeio selvagem em 2018: estará a bolha apenas a começar?  Por  , Buttonwood’s notebook, em

Trickle down ou trickle up eis a questão. E qual tem sido a opção?Parte II – 27. Será isto o fim dos mercados em baixa, para sempre? (2ª parte-conclusão). Por Lance Roberts

Uma nova série sobre as novas tempestades que se vislumbram já no horizonte  Seleção e tradução de Júlio Marques Mota Parte II – 27. Será isto o fim dos mercados em baixa, para sempre? (2ª parte-conclusão) Por Lance Roberts   

Trickle down ou trickle up eis a questão. E qual tem sido a opção? Parte II – 27. Será isto o fim dos mercados em baixa, para sempre? (1ª parte). Por Lance Roberts

Uma nova série sobre as novas tempestades que se vislumbram já no horizonte  Seleção e tradução de Júlio Marques Mota Parte II – 27. Será isto o fim dos mercados em baixa, para sempre? (1ª parte) Por Lance Roberts