Sobre o mercado de trabalho atual: do século XXI ao século XIX, um retorno a Marx. 6 – O futuro do trabalho: sentido e valor do trabalho na Europa – Parte III

(Dominique Méda, publicação da OIT, 2016, Tradução Júlio Marques Mota)

No entanto, as questões de “qualidade do emprego” são agora brutalmente desafiadas por alguns estudos prospetivos que anunciam nada mais, nada menos do que o desaparecimento de um número muito grande de postos de trabalho e do fim da força de trabalho, devido à revolução tecnológica em curso.

Sobre o mercado de trabalho atual: do século XXI ao século XIX, um retorno a Marx. 6 – O futuro do trabalho: sentido e valor do trabalho na Europa – Parte III

(Dominique Méda, publicação da OIT, 2016, Tradução Júlio Marques Mota)

No entanto, as questões de “qualidade do emprego” são agora brutalmente desafiadas por alguns estudos prospetivos que anunciam nada mais, nada menos do que o desaparecimento de um número muito grande de postos de trabalho e do fim da força de trabalho, devido à revolução tecnológica em curso.

ECODEBATE – CIDADANIA & MEIO AMBIENTE – BLOGUE CIDADÃOS DO MUNDO – PROTOCOLOS DE CONSULTA DE DIFERENTES POVOS INDÍGENAS NA AMAZÔNIA SÃO INSTRUMENTOS DE LUTA PELOS DIREITOS – ENTREVISTA COM ANGELA AMANKAWA KAXUYANA, por SUCENA SHKRADA RESK

OBRIGADO A ANGELA AMANKAWA KAXUYANA, SUCENA SHKRADA RESK, BLOGUE CIDADÃOS DO MUNDO E ECODEBATE   O protagonismo indígena na defesa dos seus direitos é a pauta desta semana. Na seara do contexto amazônico, a entrevistada é Angela Amankawa Kaxuyana, da

ECODEBATE – CIDADANIA & MEIO AMBIENTE – BLOGUE CIDADÃOS DO MUNDO – PROTOCOLOS DE CONSULTA DE DIFERENTES POVOS INDÍGENAS NA AMAZÔNIA SÃO INSTRUMENTOS DE LUTA PELOS DIREITOS – ENTREVISTA COM ANGELA AMANKAWA KAXUYANA, por SUCENA SHKRADA RESK

OBRIGADO A ANGELA AMANKAWA KAXUYANA, SUCENA SHKRADA RESK, BLOGUE CIDADÃOS DO MUNDO E ECODEBATE   O protagonismo indígena na defesa dos seus direitos é a pauta desta semana. Na seara do contexto amazônico, a entrevistada é Angela Amankawa Kaxuyana, da

ALMINHA DO ARQUIPÉLAGO, por CÉSAR PRÍNCIPE

  No âmbito das denegrições e celebrações da Revolução de Outubro, evocaremos, no fechar do centenário, um cabeça de cartaz anti, um tal Alexander Soljenytsine.1 Este guarda-branco da Intelligence foi fonte inquinada de citação. Enfeitou estantes de leitores Readers Digest.2

ALMINHA DO ARQUIPÉLAGO, por CÉSAR PRÍNCIPE

  No âmbito das denegrições e celebrações da Revolução de Outubro, evocaremos, no fechar do centenário, um cabeça de cartaz anti, um tal Alexander Soljenytsine.1 Este guarda-branco da Intelligence foi fonte inquinada de citação. Enfeitou estantes de leitores Readers Digest.2

A NOSSA PENÍNSULA – 5 – Mosaico cultural – por Carlos Loures

(continuação) Numa tentativa frouxa de desacreditar a legitima luta dos catalães pela sua independência plena, surge um movimento exigindo a constituição de um Estado com a configuração geográfica do Al Andalus.  Um texto que publiquei há cerca de sete anos

A NOSSA PENÍNSULA – 5 – Mosaico cultural – por Carlos Loures

(continuação) Numa tentativa frouxa de desacreditar a legitima luta dos catalães pela sua independência plena, surge um movimento exigindo a constituição de um Estado com a configuração geográfica do Al Andalus.  Um texto que publiquei há cerca de sete anos

A IDEIA – REVISTA de CULTURA LIBERTÁRIA – LANÇAMENTO de NÚMERO TRIPLO 81/83 + livro “ANARQUISMO MODERNO MAS NÃO PÓS-MODERNO” – AMANHÃ, SÁBADO, 16 de DEZEMBRO, às 15 horas, no MUSEU DO ALJUBE

Prezados Amigos e Colaboradores O número triplo da revista “A Ideia” respeitante a 2017 será apresentado na tarde do dia 16 de Dezembro de 2017 no Museu do Aljube. Segue em anexo o cartaz do evento, com o programa e

A IDEIA – REVISTA de CULTURA LIBERTÁRIA – LANÇAMENTO de NÚMERO TRIPLO 81/83 + livro “ANARQUISMO MODERNO MAS NÃO PÓS-MODERNO” – AMANHÃ, SÁBADO, 16 de DEZEMBRO, às 15 horas, no MUSEU DO ALJUBE

Prezados Amigos e Colaboradores O número triplo da revista “A Ideia” respeitante a 2017 será apresentado na tarde do dia 16 de Dezembro de 2017 no Museu do Aljube. Segue em anexo o cartaz do evento, com o programa e

“Uma Canção Cinco Vozes…” por Lídia Maria Rocha – I’ll See You in My Dreams

Em alguns casos haverá mais que cinco vozes. Joe Brown tem uma carreira como cantor e guitarrista de rock and roll, que já dura há mais de cinco décadas. “I’ll See You in My Dreams” é interpretado por Joe Brown

“Uma Canção Cinco Vozes…” por Lídia Maria Rocha – I’ll See You in My Dreams

Em alguns casos haverá mais que cinco vozes. Joe Brown tem uma carreira como cantor e guitarrista de rock and roll, que já dura há mais de cinco décadas. “I’ll See You in My Dreams” é interpretado por Joe Brown

Dos conhecimentos básicos em finança à opacidade e complexidade do mundo financeirizado – Uma exposição e uma análise crítica. Parte III – A finança ao serviço da sociedade e não a sociedade ao serviço da finança – 3. Investir não é andar a apostar (8ª parte). Por Finance Watch

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota Parte III – A finança ao serviço da sociedade e não a sociedade ao serviço da finança. 3. Investir não é andar a apostar (8ª parte) Colocando os mercados financeiros ao serviço da

Dos conhecimentos básicos em finança à opacidade e complexidade do mundo financeirizado – Uma exposição e uma análise crítica. Parte III – A finança ao serviço da sociedade e não a sociedade ao serviço da finança – 3. Investir não é andar a apostar (8ª parte). Por Finance Watch

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota Parte III – A finança ao serviço da sociedade e não a sociedade ao serviço da finança. 3. Investir não é andar a apostar (8ª parte) Colocando os mercados financeiros ao serviço da

“no silêncio da noite…” por Lídia Rocha – Près du Coeur

O guitarrista francês Nicolas de Angelis interpreta a melodia “Près du Coeur”, incluída no seu álbum “Guitar Guitar”, lançado em 1987. Este tema foi composto pela parceria Paul de Senneville e Jean Baudlot.

“no silêncio da noite…” por Lídia Rocha – Près du Coeur

O guitarrista francês Nicolas de Angelis interpreta a melodia “Près du Coeur”, incluída no seu álbum “Guitar Guitar”, lançado em 1987. Este tema foi composto pela parceria Paul de Senneville e Jean Baudlot.

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (212)

  O PORTO EM IMAGENS (45) NATAL 2017 – ILUMINAÇÕES NA BAIXA   .              

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (212)

  O PORTO EM IMAGENS (45) NATAL 2017 – ILUMINAÇÕES NA BAIXA   .              

A GALIZA COMO TAREFA – best-sellers – Ernesto V. Souza

Não será também este ano, pois já vai quase inteiro andado, que aconteça esse Apocalipse do papel, anunciado há décadas pelos profetas do digital, nem virá tão pronto esse mundo futuro imediato, há quanto pregoado, do livro terminator eletrónico. Mas

A GALIZA COMO TAREFA – best-sellers – Ernesto V. Souza

Não será também este ano, pois já vai quase inteiro andado, que aconteça esse Apocalipse do papel, anunciado há décadas pelos profetas do digital, nem virá tão pronto esse mundo futuro imediato, há quanto pregoado, do livro terminator eletrónico. Mas

A NOSSA PENÍNSULA – 4 – A mítica Lusitânia – por Carlos Loures

(continuação) Depois de um pequeno desvio pelo Reino da Lusitânia Setentrional, volto à busca de uma razão consistente para que sejamos tratados por lusitanos  e chego *a conclusão de que essa razão e consistência não existem. Parte do território de

A NOSSA PENÍNSULA – 4 – A mítica Lusitânia – por Carlos Loures

(continuação) Depois de um pequeno desvio pelo Reino da Lusitânia Setentrional, volto à busca de uma razão consistente para que sejamos tratados por lusitanos  e chego *a conclusão de que essa razão e consistência não existem. Parte do território de

“Uma Canção Cinco Vozes…” por Lídia Maria Rocha – I’ll See You in My Dreams

Em alguns casos haverá mais que cinco vozes. Uma banda “vintage jazz” interpreta a canção “I’ll See You in My Dreams”. O reportório deste grupo é baseado no som do “gypsy jazz”, com tons de “swing” de Django Reinhardt e

“Uma Canção Cinco Vozes…” por Lídia Maria Rocha – I’ll See You in My Dreams

Em alguns casos haverá mais que cinco vozes. Uma banda “vintage jazz” interpreta a canção “I’ll See You in My Dreams”. O reportório deste grupo é baseado no som do “gypsy jazz”, com tons de “swing” de Django Reinhardt e

Dos conhecimentos básicos em finança à opacidade e complexidade do mundo financeirizado – Uma exposição e uma análise crítica. Parte III – A finança ao serviço da sociedade e não a sociedade ao serviço da finança – 3. Investir não é andar a apostar (7ª parte). Por Finance Watch

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota Parte III – A finança ao serviço da sociedade e não a sociedade ao serviço da finança. 3. Investir não é andar a apostar (7ª parte) Colocando os mercados financeiros ao serviço da

Dos conhecimentos básicos em finança à opacidade e complexidade do mundo financeirizado – Uma exposição e uma análise crítica. Parte III – A finança ao serviço da sociedade e não a sociedade ao serviço da finança – 3. Investir não é andar a apostar (7ª parte). Por Finance Watch

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota Parte III – A finança ao serviço da sociedade e não a sociedade ao serviço da finança. 3. Investir não é andar a apostar (7ª parte) Colocando os mercados financeiros ao serviço da