Posts Tagged: migrações

Ano de 2019, ano de eleições europeias. Parte II – Imagens soltas de uma União Europeia em decomposição a partir de alguns dos seus Estados membros. 7º Texto – Alemanha. A noite em que a Alemanha perdeu o controle – Parte II

(Georg Blume e outros, 16 de Agosto de 2016)

A legislação em vigor estabelece que todos os requerentes de asilo devem ser registados, alojados e protegidos no Estado-Membro da UE onde entram pela primeira vez no território da União Europeia. No entanto, a Alemanha está situada no centro da Europa, rodeada de todos os lados por Estados-Membros da UE. Isso significa que é impossível que os refugiados cheguem à Alemanha sem antes terem passado por outro país membro da UE, a menos que caiam do céu.

Ano de 2019, ano de eleições europeias. Parte II – Imagens soltas de uma União Europeia em decomposição a partir de alguns dos seus Estados membros. 7º Texto – Alemanha. A noite em que a Alemanha perdeu o controle – Parte II

(Georg Blume e outros, 16 de Agosto de 2016)

A legislação em vigor estabelece que todos os requerentes de asilo devem ser registados, alojados e protegidos no Estado-Membro da UE onde entram pela primeira vez no território da União Europeia. No entanto, a Alemanha está situada no centro da Europa, rodeada de todos os lados por Estados-Membros da UE. Isso significa que é impossível que os refugiados cheguem à Alemanha sem antes terem passado por outro país membro da UE, a menos que caiam do céu.

Ano de 2019, ano de eleições europeias. Parte II – Imagens soltas de uma União Europeia em decomposição a partir de alguns dos seus Estados membros. 7º Texto – Alemanha. A noite em que a Alemanha perdeu o controle – Parte I

(Georg Blume e outros, 16 de Agosto de 2016)

O que aconteceu no dia 4 de setembro de 2015? Que intenções, fracassos e mal-entendidos levaram a uma situação em que centenas de milhares de refugiados chegaram à Alemanha?

Ano de 2019, ano de eleições europeias. Parte II – Imagens soltas de uma União Europeia em decomposição a partir de alguns dos seus Estados membros. 7º Texto – Alemanha. A noite em que a Alemanha perdeu o controle – Parte I

(Georg Blume e outros, 16 de Agosto de 2016)

O que aconteceu no dia 4 de setembro de 2015? Que intenções, fracassos e mal-entendidos levaram a uma situação em que centenas de milhares de refugiados chegaram à Alemanha?

Ano de 2019, ano de eleições europeias. Parte II – Imagens soltas de uma União Europeia em decomposição a partir de alguns dos seus Estados membros. 6º Texto – Alemanha. Reformas e debates do após-Hartz IV: para uma mudança de lógica

(Odile CHAGNY, 18 de Novembro de 2018)

Desde meados da década de 2000 e da rutura  da Agenda 2010, as políticas na Alemanha em matéria de reformas do mercado de trabalho, de cuidados aos desempregados e às pessoas necessitadas, rendimentos mínimos garantidos (o emblemático subsídio “Hartz IV”) têm sido invocadas muito regularmente, para comentar e avaliar os seus efeitos no desempenho do mercado de trabalho e na capacidade de reintegrar pessoas que estão permanentemente desempregadas através de uma combinação de direitos e obrigações ou, mais recentemente, sobre o impacto dos cuidados prestados aos migrantes e refugiados nos mecanismos de solidariedade.

Ano de 2019, ano de eleições europeias. Parte II – Imagens soltas de uma União Europeia em decomposição a partir de alguns dos seus Estados membros. 6º Texto – Alemanha. Reformas e debates do após-Hartz IV: para uma mudança de lógica

(Odile CHAGNY, 18 de Novembro de 2018)

Desde meados da década de 2000 e da rutura  da Agenda 2010, as políticas na Alemanha em matéria de reformas do mercado de trabalho, de cuidados aos desempregados e às pessoas necessitadas, rendimentos mínimos garantidos (o emblemático subsídio “Hartz IV”) têm sido invocadas muito regularmente, para comentar e avaliar os seus efeitos no desempenho do mercado de trabalho e na capacidade de reintegrar pessoas que estão permanentemente desempregadas através de uma combinação de direitos e obrigações ou, mais recentemente, sobre o impacto dos cuidados prestados aos migrantes e refugiados nos mecanismos de solidariedade.

Ano de 2019, ano de eleições europeias. Parte II – Imagens soltas de uma União Europeia em decomposição a partir de alguns dos seus Estados membros. 5º Texto – A esquerda alemã e os desafios levantadas pelas migrações

(Peter Whal, 9 de Fevereiro de 2019)

Desde que a Chanceler alemã suspendeu o Acordo de Dublin em Setembro de 2015, permitindo a entrada de um milhão e meio de refugiados no país durante os dezoito meses seguintes, a questão da migração desempenhou um papel espetacular na política alemã.

Ano de 2019, ano de eleições europeias. Parte II – Imagens soltas de uma União Europeia em decomposição a partir de alguns dos seus Estados membros. 5º Texto – A esquerda alemã e os desafios levantadas pelas migrações

(Peter Whal, 9 de Fevereiro de 2019)

Desde que a Chanceler alemã suspendeu o Acordo de Dublin em Setembro de 2015, permitindo a entrada de um milhão e meio de refugiados no país durante os dezoito meses seguintes, a questão da migração desempenhou um papel espetacular na política alemã.

BRASIL – CARTA CAPITAL – ENTENDA O PACTO GLOBAL DE MIGRAÇÕES QUE O BRASIL DEIXOU – por ANA LUISA BASILIO

      Para pesquisadora, governo reafirma postura conservadora ao fazer com que o Brasil deixe o pacto das migrações e faz com que o país acompanhe países desenvolvidos em um quadro que não lhe é equivalente   Continue a

BRASIL – CARTA CAPITAL – ENTENDA O PACTO GLOBAL DE MIGRAÇÕES QUE O BRASIL DEIXOU – por ANA LUISA BASILIO

      Para pesquisadora, governo reafirma postura conservadora ao fazer com que o Brasil deixe o pacto das migrações e faz com que o país acompanhe países desenvolvidos em um quadro que não lhe é equivalente   Continue a

CRISE DA DEMOCRACIA, CRISE DA POLÍTICA, CRISE DA ECONOMIA: O OLHAR DE ALGUNS ANALISTAS NÃO NEOLIBERAIS – 3. FALHAS SÍSMICAS NA UNIÃO EUROPEIA (5ª PARTE), por DOMENICO MARIO NUTI

  Selecção e tradução por Júlio Marques Mota. Revisão de Joaquim Feio.  Falhas sísmicas na União Europeia – 5ª PARTE SEISMIC FAULTS IN THE EUROPEAN UNION Domenico Mario NUTI Transition, 8 de Janeiro de 2017 (CONCLUSÃO) … Conflitos Os remédios

CRISE DA DEMOCRACIA, CRISE DA POLÍTICA, CRISE DA ECONOMIA: O OLHAR DE ALGUNS ANALISTAS NÃO NEOLIBERAIS – 3. FALHAS SÍSMICAS NA UNIÃO EUROPEIA (5ª PARTE), por DOMENICO MARIO NUTI

  Selecção e tradução por Júlio Marques Mota. Revisão de Joaquim Feio.  Falhas sísmicas na União Europeia – 5ª PARTE SEISMIC FAULTS IN THE EUROPEAN UNION Domenico Mario NUTI Transition, 8 de Janeiro de 2017 (CONCLUSÃO) … Conflitos Os remédios

CRISE DA DEMOCRACIA, CRISE DA POLÍTICA, CRISE DA ECONOMIA: O OLHAR DE ALGUNS ANALISTAS NÃO NEOLIBERAIS – 3. FALHAS SÍSMICAS NA UNIÃO EUROPEIA (4ª PARTE), por DOMENICO MARIO NUTI

Selecção e tradução por Júlio Marques Mota. Revisão de Joaquim Feio.  Falhas sísmicas na União Europeia – 4ª PARTE SEISMIC FAULTS IN THE EUROPEAN UNION Domenico Mario NUTI Transition, 8 de Janeiro de 2017 (CONTINUAÇÃO) … 10) A recapitalização dos

CRISE DA DEMOCRACIA, CRISE DA POLÍTICA, CRISE DA ECONOMIA: O OLHAR DE ALGUNS ANALISTAS NÃO NEOLIBERAIS – 3. FALHAS SÍSMICAS NA UNIÃO EUROPEIA (4ª PARTE), por DOMENICO MARIO NUTI

Selecção e tradução por Júlio Marques Mota. Revisão de Joaquim Feio.  Falhas sísmicas na União Europeia – 4ª PARTE SEISMIC FAULTS IN THE EUROPEAN UNION Domenico Mario NUTI Transition, 8 de Janeiro de 2017 (CONTINUAÇÃO) … 10) A recapitalização dos

CRISE DA DEMOCRACIA, CRISE DA POLÍTICA, CRISE DA ECONOMIA: O OLHAR DE ALGUNS ANALISTAS NÃO NEOLIBERAIS – 3. FALHAS SÍSMICAS NA UNIÃO EUROPEIA (3ª PARTE), por DOMENICO MARIO NUTI

Selecção e tradução por Júlio Marques Mota. Revisão de Joaquim Feio.  Falhas sísmicas na União Europeia – 3ª PARTE SEISMIC FAULTS IN THE EUROPEAN UNION Domenico Mario NUTI Transition, 8 de Janeiro de 2017 (CONTINUAÇÃO) …  5) A concorrência fiscal

CRISE DA DEMOCRACIA, CRISE DA POLÍTICA, CRISE DA ECONOMIA: O OLHAR DE ALGUNS ANALISTAS NÃO NEOLIBERAIS – 3. FALHAS SÍSMICAS NA UNIÃO EUROPEIA (3ª PARTE), por DOMENICO MARIO NUTI

Selecção e tradução por Júlio Marques Mota. Revisão de Joaquim Feio.  Falhas sísmicas na União Europeia – 3ª PARTE SEISMIC FAULTS IN THE EUROPEAN UNION Domenico Mario NUTI Transition, 8 de Janeiro de 2017 (CONTINUAÇÃO) …  5) A concorrência fiscal

CRISE DA DEMOCRACIA, CRISE DA POLÍTICA, CRISE DA ECONOMIA: O OLHAR DE ALGUNS ANALISTAS NÃO NEOLIBERAIS – 3. FALHAS SÍSMICAS NA UNIÃO EUROPEIA (2ª PARTE), por DOMENICO MARIO NUTI

  Selecção e tradução por Júlio Marques Mota. Revisão de Joaquim Feio.  Falhas sísmicas na União Europeia – 2ª PARTE SEISMIC FAULTS IN THE EUROPEAN UNION[1] Domenico Mario NUTI[2] Transition, 8 de Janeiro de 2017 (continuação) … 3) Migrações. No

CRISE DA DEMOCRACIA, CRISE DA POLÍTICA, CRISE DA ECONOMIA: O OLHAR DE ALGUNS ANALISTAS NÃO NEOLIBERAIS – 3. FALHAS SÍSMICAS NA UNIÃO EUROPEIA (2ª PARTE), por DOMENICO MARIO NUTI

  Selecção e tradução por Júlio Marques Mota. Revisão de Joaquim Feio.  Falhas sísmicas na União Europeia – 2ª PARTE SEISMIC FAULTS IN THE EUROPEAN UNION[1] Domenico Mario NUTI[2] Transition, 8 de Janeiro de 2017 (continuação) … 3) Migrações. No

CASA DA ACHADA – CENTRO MÁRIO DIONÍSIO – AGOSTO de 2016 – FRONTEIRAS: FORA E DENTRO

  A história humana é uma história de migrações, mas elas são hoje dominadas pelos critérios do neoliberalismo e do sistema económico capitalista. Uns podem mover-se livremente no mundo. Outros não. Uns viajam por recreio, outros para fugir à guerra

CASA DA ACHADA – CENTRO MÁRIO DIONÍSIO – AGOSTO de 2016 – FRONTEIRAS: FORA E DENTRO

  A história humana é uma história de migrações, mas elas são hoje dominadas pelos critérios do neoliberalismo e do sistema económico capitalista. Uns podem mover-se livremente no mundo. Outros não. Uns viajam por recreio, outros para fugir à guerra

EDITORIAL – UM PLANO B PARA A UE?

De uma coisa não há dúvida: o BREXIT apanhou desprevenido muita gente. Olhe-se para as reacções, a começar pelas declarações dos líderes europeus, e a seguir pelos cabeçalhos dos jornais e aberturas dos noticiários televisivos. Os próprios patrocinadores do Brexit

EDITORIAL – UM PLANO B PARA A UE?

De uma coisa não há dúvida: o BREXIT apanhou desprevenido muita gente. Olhe-se para as reacções, a começar pelas declarações dos líderes europeus, e a seguir pelos cabeçalhos dos jornais e aberturas dos noticiários televisivos. Os próprios patrocinadores do Brexit

REVISTA DA SEMANA por Luís Rocha

Revista da semana De 25/10 a 31/10/2015 O XX Governo Constitucional tomou posse sexta-feira dia 30 de Outubro. Mas, como refere o jornal “Observador” este não é o dia 1 do novo ciclo. É antes o dia -11 para sabermos

REVISTA DA SEMANA por Luís Rocha

Revista da semana De 25/10 a 31/10/2015 O XX Governo Constitucional tomou posse sexta-feira dia 30 de Outubro. Mas, como refere o jornal “Observador” este não é o dia 1 do novo ciclo. É antes o dia -11 para sabermos

“FILMES DO HOMEM” – FESTIVAL DE DOCUMENTÁRIO DE MELGAÇO, DE 4 A 9 DE AGOSTO

O Festival de documentário de Melgaço FILMES DO HOMEM regressa de 4 a 9 de Agosto. O tema este ano é “ Migrações”. Também  o Seminário Fora de Campo pretende ser um encontro de reflexão e debate multidisciplinar em torno do

“FILMES DO HOMEM” – FESTIVAL DE DOCUMENTÁRIO DE MELGAÇO, DE 4 A 9 DE AGOSTO

O Festival de documentário de Melgaço FILMES DO HOMEM regressa de 4 a 9 de Agosto. O tema este ano é “ Migrações”. Também  o Seminário Fora de Campo pretende ser um encontro de reflexão e debate multidisciplinar em torno do

EM COIMBRA, DISCUTE-SE “A CRISE NO MEDITERRÂNEO É DE TODA A GENTE”, NO DIA 25 DE MAIO, ÀS 16h , NO TEATRO ACADÉMICO DE GIL VICENTE

“Não vamos à procura de uma vida melhor. Vamos à procura de vida. Atrás de nós só há morte” (Ahmed Abdalla, Somália) Debate  “A Crise no Mediterrâneo é de toda a gente!” 25 de maio de 2015, 16h00, Cafetaria do Teatro

EM COIMBRA, DISCUTE-SE “A CRISE NO MEDITERRÂNEO É DE TODA A GENTE”, NO DIA 25 DE MAIO, ÀS 16h , NO TEATRO ACADÉMICO DE GIL VICENTE

“Não vamos à procura de uma vida melhor. Vamos à procura de vida. Atrás de nós só há morte” (Ahmed Abdalla, Somália) Debate  “A Crise no Mediterrâneo é de toda a gente!” 25 de maio de 2015, 16h00, Cafetaria do Teatro