Posts Tagged: Ernesto V. Souza

A GALIZA COMO TAREFA – construções – Ernesto V. Souza

Na lógica dos documentários, e em favor da verossimilhança da narrativa, poderíamos indicar que a gente da Galiza, e com ela as suas elites intelectuais, políticas e econômicas, apresentam bastantes divergências de atuação, lógica e comportamento das demais espanholas. Mesmo

A GALIZA COMO TAREFA – construções – Ernesto V. Souza

Na lógica dos documentários, e em favor da verossimilhança da narrativa, poderíamos indicar que a gente da Galiza, e com ela as suas elites intelectuais, políticas e econômicas, apresentam bastantes divergências de atuação, lógica e comportamento das demais espanholas. Mesmo

A GALIZA COMO TAREFA – Aliyah – Ernesto V. Souza

Nunca seria, reconheço, um bom general, nem um desses grandes estrategistas militares, políticos ou empresariais, capazes de sacrificar grandes recursos e contingentes humanos por um objetivo considerado de mais valor, por uma meta. Não. Duvido que eu passasse de sargento,

A GALIZA COMO TAREFA – Aliyah – Ernesto V. Souza

Nunca seria, reconheço, um bom general, nem um desses grandes estrategistas militares, políticos ou empresariais, capazes de sacrificar grandes recursos e contingentes humanos por um objetivo considerado de mais valor, por uma meta. Não. Duvido que eu passasse de sargento,

A GALIZA COMO TAREFA – desorientação – Ernesto V. Souza

Derrotas, ou sucessos eleitorais doutros, seriam mais ou menos passáveis, suportáveis e explicáveis se houvesse referentes, continuidade, uma estrutura política, uma rede de ativistas, militantes e votantes, consolidada, em vias de consolidação ou em desenvolvimento esperançado. Não é doado competir

A GALIZA COMO TAREFA – desorientação – Ernesto V. Souza

Derrotas, ou sucessos eleitorais doutros, seriam mais ou menos passáveis, suportáveis e explicáveis se houvesse referentes, continuidade, uma estrutura política, uma rede de ativistas, militantes e votantes, consolidada, em vias de consolidação ou em desenvolvimento esperançado. Não é doado competir

A GALIZA COMO TAREFA – world wide web war – Ernesto V. Souza

Não por mais anunciado, foi que estávamos precavidos. O conflito comercial Estados Unidos da América vs. República Popular da China, com Google e Huawei, como modernas esquadras tecnológicas em rumo de colisão, deflagrou assim, como qualquer uma das grandes guerras

A GALIZA COMO TAREFA – world wide web war – Ernesto V. Souza

Não por mais anunciado, foi que estávamos precavidos. O conflito comercial Estados Unidos da América vs. República Popular da China, com Google e Huawei, como modernas esquadras tecnológicas em rumo de colisão, deflagrou assim, como qualquer uma das grandes guerras

A GALIZA COMO TAREFA – evoluções – Ernesto V. Souza

A história da construção das línguas é a dos estados: é a história da burocracia, da administração, da educação, das crenças fixadas, dos símbolos e rituais, das assimilações e a da força. Em resumo e simplificando, poderíamos dizer, é a

A GALIZA COMO TAREFA – evoluções – Ernesto V. Souza

A história da construção das línguas é a dos estados: é a história da burocracia, da administração, da educação, das crenças fixadas, dos símbolos e rituais, das assimilações e a da força. Em resumo e simplificando, poderíamos dizer, é a

A GALIZA COMO TAREFA – discordâncias – Ernesto V. Souza

Quintas, toca-me, normalmente, levar os cativos à Escola Municipal de Música. Flauta uma, saxofone outro e mais banda, ambos. Com algum tempo de espera entre aulas, isto quer dizer que tiro toda a tarde, por perto, entre passeios no parque,

A GALIZA COMO TAREFA – discordâncias – Ernesto V. Souza

Quintas, toca-me, normalmente, levar os cativos à Escola Municipal de Música. Flauta uma, saxofone outro e mais banda, ambos. Com algum tempo de espera entre aulas, isto quer dizer que tiro toda a tarde, por perto, entre passeios no parque,

A GALIZA COMO TAREFA – bibliotopias – Ernesto V. Souza

Nos últimos dez anos, de mais em menos, e com cada vez mais distância de velhos carinhos e entusiasmos, fui abandonando a pesquisa acadêmica. Não estando no entorno universitário, não frequentando os ambientes culturais ajeitados e circos editoriais adequados, nem

A GALIZA COMO TAREFA – bibliotopias – Ernesto V. Souza

Nos últimos dez anos, de mais em menos, e com cada vez mais distância de velhos carinhos e entusiasmos, fui abandonando a pesquisa acadêmica. Não estando no entorno universitário, não frequentando os ambientes culturais ajeitados e circos editoriais adequados, nem

A GALIZA COMO TAREFA – moinantes – Ernesto V. Souza

No momento em que o capitalismo soube que era dono do campo e senhor absoluto da cena perdeu, precipitadamente, mas como por acaso, aquele interesse pelas formas e moral etonianas (good manners… / BAD MANNERS!!! por citar pela breve James

A GALIZA COMO TAREFA – moinantes – Ernesto V. Souza

No momento em que o capitalismo soube que era dono do campo e senhor absoluto da cena perdeu, precipitadamente, mas como por acaso, aquele interesse pelas formas e moral etonianas (good manners… / BAD MANNERS!!! por citar pela breve James

A GALIZA COMO TAREFA – geografia – Ernesto V. Souza

Nos últimos anos, as escolhas da Real Academia Galega afastaram-me mais que muito de uma celebração muito querida e que me pareceu, desde que lembre, um grande acerto político e cultural, académico e popular. O Dia das Letras galegas, já

A GALIZA COMO TAREFA – geografia – Ernesto V. Souza

Nos últimos anos, as escolhas da Real Academia Galega afastaram-me mais que muito de uma celebração muito querida e que me pareceu, desde que lembre, um grande acerto político e cultural, académico e popular. O Dia das Letras galegas, já

A GALIZA COMO TAREFA – nevoeiros – Ernesto V. Souza

Acho que nunca teve clara qualquer vocação. E, por cousas da vida, nunca também me centrei numa única tarefa, trabalho ou ocupação nos que ir deixando aprender os anos. Talvez por isso (ou talvez seja essa causa e não efeito)

A GALIZA COMO TAREFA – nevoeiros – Ernesto V. Souza

Acho que nunca teve clara qualquer vocação. E, por cousas da vida, nunca também me centrei numa única tarefa, trabalho ou ocupação nos que ir deixando aprender os anos. Talvez por isso (ou talvez seja essa causa e não efeito)

A GALIZA COMO TAREFA – mecânica clássica – Ernesto V. Souza

Ir vivendo anos, a tratar de ter os olhos um mínimo de abertos em todas as direções e o cérebro alerta, dá para se ir decatando da copiosa e imparável mudança que acontece arredor. Talvez no momento que as cousas

A GALIZA COMO TAREFA – mecânica clássica – Ernesto V. Souza

Ir vivendo anos, a tratar de ter os olhos um mínimo de abertos em todas as direções e o cérebro alerta, dá para se ir decatando da copiosa e imparável mudança que acontece arredor. Talvez no momento que as cousas

A GALIZA COMO TAREFA – não é nossa – Ernesto V. Souza

Esta é uma das mais conhecidas estampas de Castelao, depois citada, contracitada, variada, repetida em reprodução inúmeras vezes na imprensa galeguista e protagonista da Campanha Pro-estatuto de Autonomia de 1936. Levava por pé o seguinte texto: A nosa Terra non

A GALIZA COMO TAREFA – não é nossa – Ernesto V. Souza

Esta é uma das mais conhecidas estampas de Castelao, depois citada, contracitada, variada, repetida em reprodução inúmeras vezes na imprensa galeguista e protagonista da Campanha Pro-estatuto de Autonomia de 1936. Levava por pé o seguinte texto: A nosa Terra non

A GALIZA COMO TAREFA – pintadas – Ernesto V. Souza

Escrever protestos a grafitti ou a escova, nos monumentos arqueológicos, nas paredes dos edifícios considerados património é delito e também – vox- populi – uma barbaridade. Danar o património artístico, natural e arqueológico propositadamente e sem motivo é, evidentemente, uma

A GALIZA COMO TAREFA – pintadas – Ernesto V. Souza

Escrever protestos a grafitti ou a escova, nos monumentos arqueológicos, nas paredes dos edifícios considerados património é delito e também – vox- populi – uma barbaridade. Danar o património artístico, natural e arqueológico propositadamente e sem motivo é, evidentemente, uma

A GALIZA COMO TAREFA – suspicácias – Ernesto V. Souza

Quantos filmes, tele-filmes, romances e subprodutos, se produziriam nos últimos 12 anos com a estética, a paisagem de fundo, as cores, indicativos e uniformes exatos, as armas, a eficácia da preparação, do armamento, a qualidade dos disparos, a habilidade para

A GALIZA COMO TAREFA – suspicácias – Ernesto V. Souza

Quantos filmes, tele-filmes, romances e subprodutos, se produziriam nos últimos 12 anos com a estética, a paisagem de fundo, as cores, indicativos e uniformes exatos, as armas, a eficácia da preparação, do armamento, a qualidade dos disparos, a habilidade para

A GALIZA COMO TAREFA – leais conselheiros – Ernesto V. Souza

Como galego de nação e até de costumes, quanto mais tempo passo pelo mundo fora, mais países do espaço latino percorro e mais leio em línguas romances, mais confirmo a minha sensação de que a ideia que se me apresenta

A GALIZA COMO TAREFA – leais conselheiros – Ernesto V. Souza

Como galego de nação e até de costumes, quanto mais tempo passo pelo mundo fora, mais países do espaço latino percorro e mais leio em línguas romances, mais confirmo a minha sensação de que a ideia que se me apresenta