Category Archives: Literatura

CARTA DE BRAGA -“de Abelaira e Victor Hugo” por António Oliveira

Uma, talvez a maior das minhas frustrações, é nunca ter estado em Florença! O ‘culpado’ deste desgosto, que talvez me vá acompanhar até partir, é Augusto Abelaira, por se ter ‘atrevido’ a escrever e a publicar o admirável ‘A cidade das

CARTA DE BRAGA -“de Abelaira e Victor Hugo” por António Oliveira

Uma, talvez a maior das minhas frustrações, é nunca ter estado em Florença! O ‘culpado’ deste desgosto, que talvez me vá acompanhar até partir, é Augusto Abelaira, por se ter ‘atrevido’ a escrever e a publicar o admirável ‘A cidade das

45 ANOS DEPOIS DA ABSOLVIÇÃO NO PROCESSO DAS “TRÊS MARIAS”

Foi a 7 de Maio de 1974 que terminou o processo instaurado pelo fascismo às autoras das “As Novas Cartas Portuguesas” das escritoras portuguesas Maria Isabel Barreno, Maria Teresa Horta e Maria Velho da Costa. Tinham sido publicadas em 1972

45 ANOS DEPOIS DA ABSOLVIÇÃO NO PROCESSO DAS “TRÊS MARIAS”

Foi a 7 de Maio de 1974 que terminou o processo instaurado pelo fascismo às autoras das “As Novas Cartas Portuguesas” das escritoras portuguesas Maria Isabel Barreno, Maria Teresa Horta e Maria Velho da Costa. Tinham sido publicadas em 1972

A INQUIETANTE E PERSISTENTE IMOBILIDADE NA EUROPA. – A HISTÓRIA DE MELVILLE SOBRE A EUROPA – por MARIO PIANTA

Restive Immobility – Melville’s Tale of Europe, por Mario Pianti Selecção e tradução de Júlio Marques Mota Revisão de Francisco Tavares O texto Restive Immobility – Melville’s Tale of Europe é publicado em A Viagem dos Argonautas com a autorização

A INQUIETANTE E PERSISTENTE IMOBILIDADE NA EUROPA. – A HISTÓRIA DE MELVILLE SOBRE A EUROPA – por MARIO PIANTA

Restive Immobility – Melville’s Tale of Europe, por Mario Pianti Selecção e tradução de Júlio Marques Mota Revisão de Francisco Tavares O texto Restive Immobility – Melville’s Tale of Europe é publicado em A Viagem dos Argonautas com a autorização

CARTA DE BARCELONA – Vida i memòria – por JOSEP A. VIDAL

    Nie sollst du mich befragen, noch Wissens Sorge tragen, woher ich kam der Fahrt, noch wie mein Namʼ und Art! [Mai no em preguntaràs, ni intentaràs saber, d’on procedeixo, ni quins són el meu nom i el meu

CARTA DE BARCELONA – Vida i memòria – por JOSEP A. VIDAL

    Nie sollst du mich befragen, noch Wissens Sorge tragen, woher ich kam der Fahrt, noch wie mein Namʼ und Art! [Mai no em preguntaràs, ni intentaràs saber, d’on procedeixo, ni quins són el meu nom i el meu

CARTA DE BRAGA – “Murphy, Bauman e o universo” por António Oliveira

  Robert Mathews é um cientista e investigador britânico, bem conhecido também por ser um popular divulgador da ciência, através da tv, livros e artigos em órgãos de comunicação diversos. Mathews saltou para a fama quando lhe foi atribuído o

CARTA DE BRAGA – “Murphy, Bauman e o universo” por António Oliveira

  Robert Mathews é um cientista e investigador britânico, bem conhecido também por ser um popular divulgador da ciência, através da tv, livros e artigos em órgãos de comunicação diversos. Mathews saltou para a fama quando lhe foi atribuído o

A GALIZA COMO TAREFA – bibliotopias – Ernesto V. Souza

Nos últimos dez anos, de mais em menos, e com cada vez mais distância de velhos carinhos e entusiasmos, fui abandonando a pesquisa acadêmica. Não estando no entorno universitário, não frequentando os ambientes culturais ajeitados e circos editoriais adequados, nem

A GALIZA COMO TAREFA – bibliotopias – Ernesto V. Souza

Nos últimos dez anos, de mais em menos, e com cada vez mais distância de velhos carinhos e entusiasmos, fui abandonando a pesquisa acadêmica. Não estando no entorno universitário, não frequentando os ambientes culturais ajeitados e circos editoriais adequados, nem

CARTA DE BRAGA – “Complemento oblíquo”por António Oliveira

No dia do ‘fazedor de mundos’, um curto e triste lamento sobre o ‘desfazer’ da língua’ Aqui há tempos, ao lado de uma jovem estudante e ouvindo a conversa com uma colega e amiga, percebi estarem a trocar dúvidas sobre

CARTA DE BRAGA – “Complemento oblíquo”por António Oliveira

No dia do ‘fazedor de mundos’, um curto e triste lamento sobre o ‘desfazer’ da língua’ Aqui há tempos, ao lado de uma jovem estudante e ouvindo a conversa com uma colega e amiga, percebi estarem a trocar dúvidas sobre

PRIMEIRO DE MAIO – “Marinha/Murano” – por Manuel Simões – ilustração de DORINDO CARVALHO

Publicado originalmente em A Viagem dos Argonautas:
Marinha/Murano       Impensável a origem do vidro sua massa aderindo ao ferro do vidreiro.   Não se imagina o fogo, os fornos temperados a súbita viagem para o molde disponível.  …

PRIMEIRO DE MAIO – “Marinha/Murano” – por Manuel Simões – ilustração de DORINDO CARVALHO

Publicado originalmente em A Viagem dos Argonautas:
Marinha/Murano       Impensável a origem do vidro sua massa aderindo ao ferro do vidreiro.   Não se imagina o fogo, os fornos temperados a súbita viagem para o molde disponível.  …

PRIMEIRO DE MAIO – por Sílvio Castro – desenho de Dorindo Carvalho

Publicado originalmente em A Viagem dos Argonautas:
Quando trabalho não sinto o suor de meu esforço, já que procuro pôr nele todo o meu eu em liberdade, que depois dele vive a sua cidade.   Minha cidade é o espaço…

PRIMEIRO DE MAIO – por Sílvio Castro – desenho de Dorindo Carvalho

Publicado originalmente em A Viagem dos Argonautas:
Quando trabalho não sinto o suor de meu esforço, já que procuro pôr nele todo o meu eu em liberdade, que depois dele vive a sua cidade.   Minha cidade é o espaço…