Posts Tagged: euro

Do plano técnico ao plano político: do sistema Target 2 à fragmentação financeira da União Europeia – 16. A nova morfologia do risco na zona euro (4/6). Por Marcello Minenna

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 16. A nova morfologia do risco na zona euro (4/6)  Por Marcello Minenna Publicado por  em 25 de fevereiro de 2019 (texto original aqui) [N.E.: Este texto conclui a série Do plano técnico

Do plano técnico ao plano político: do sistema Target 2 à fragmentação financeira da União Europeia – 16. A nova morfologia do risco na zona euro (4/6). Por Marcello Minenna

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 16. A nova morfologia do risco na zona euro (4/6)  Por Marcello Minenna Publicado por  em 25 de fevereiro de 2019 (texto original aqui) [N.E.: Este texto conclui a série Do plano técnico

Do plano técnico ao plano político: do sistema Target 2 à fragmentação financeira da União Europeia – 16. A nova morfologia do risco na zona euro (3/6). Por Marcello Minenna

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 16. A nova morfologia do risco na zona euro (3/6)  Por Marcello Minenna Publicado por  em 25 de fevereiro de 2019 (texto original aqui) [N.E.: Este texto conclui a série Do plano técnico

Do plano técnico ao plano político: do sistema Target 2 à fragmentação financeira da União Europeia – 16. A nova morfologia do risco na zona euro (3/6). Por Marcello Minenna

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 16. A nova morfologia do risco na zona euro (3/6)  Por Marcello Minenna Publicado por  em 25 de fevereiro de 2019 (texto original aqui) [N.E.: Este texto conclui a série Do plano técnico

Do plano técnico ao plano político: do sistema Target 2 à fragmentação financeira da União Europeia – 16. A nova morfologia do risco na zona euro (2/6). Por Marcello Minenna

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 16. A nova morfologia do risco na zona euro (2/6)  Por Marcello Minenna Publicado por  em 25 de fevereiro de 2019 (texto original aqui) [N.E.: Este texto conclui a série Do plano técnico

Do plano técnico ao plano político: do sistema Target 2 à fragmentação financeira da União Europeia – 16. A nova morfologia do risco na zona euro (2/6). Por Marcello Minenna

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 16. A nova morfologia do risco na zona euro (2/6)  Por Marcello Minenna Publicado por  em 25 de fevereiro de 2019 (texto original aqui) [N.E.: Este texto conclui a série Do plano técnico

Do plano técnico ao plano político: do sistema Target 2 à fragmentação financeira da União Europeia – 16. A nova morfologia do risco na zona euro (1/6). Por Marcello Minenna

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 16. A nova morfologia do risco na zona euro (1/6)  Por Marcello Minenna Publicado por  em 25 de fevereiro de 2019 (texto original aqui) [N.E.: Este texto conclui a série Do plano técnico

Do plano técnico ao plano político: do sistema Target 2 à fragmentação financeira da União Europeia – 16. A nova morfologia do risco na zona euro (1/6). Por Marcello Minenna

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 16. A nova morfologia do risco na zona euro (1/6)  Por Marcello Minenna Publicado por  em 25 de fevereiro de 2019 (texto original aqui) [N.E.: Este texto conclui a série Do plano técnico

Do plano técnico ao plano político: do sistema Target 2 à fragmentação financeira da União Europeia – 15. O BCE deve levar a cabo uma reviravolta nacional com os seus reinvestimentos. Por Marcello Minenna

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 15. O BCE deve levar a cabo uma reviravolta nacional com os seus reinvestimentos  Por Marcello Minenna Publicado por Financial Times, Alphaville, em 24 de janeiro de 2019 (texto original aqui) Este texto

Do plano técnico ao plano político: do sistema Target 2 à fragmentação financeira da União Europeia – 15. O BCE deve levar a cabo uma reviravolta nacional com os seus reinvestimentos. Por Marcello Minenna

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 15. O BCE deve levar a cabo uma reviravolta nacional com os seus reinvestimentos  Por Marcello Minenna Publicado por Financial Times, Alphaville, em 24 de janeiro de 2019 (texto original aqui) Este texto

Do plano técnico ao plano político: do sistema Target 2 à fragmentação financeira da União Europeia – 14. Uma retrospetiva: o que significou realmente “a partilha de riscos” na zona euro. Por Marcello Minenna

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 14. Uma retrospetiva: o que significou realmente “a partilha de riscos” na zona euro  Por Marcello Minenna Publicado por Financial Times, Alphaville, em 11 de outubro de 2018 (texto original aqui) O presente

Do plano técnico ao plano político: do sistema Target 2 à fragmentação financeira da União Europeia – 14. Uma retrospetiva: o que significou realmente “a partilha de riscos” na zona euro. Por Marcello Minenna

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 14. Uma retrospetiva: o que significou realmente “a partilha de riscos” na zona euro  Por Marcello Minenna Publicado por Financial Times, Alphaville, em 11 de outubro de 2018 (texto original aqui) O presente

Em 1999, uma criança nasceu, de parto prematuro e com deformidades congénitas: o Euro 20 anos depois – alguns textos sobre a sua atribulada existência. Texto nº 14. Uma análise sobre a criação da União Europeia e sobre a sua trajetória até aos dias de hoje – Parte II

(Entrevista a  Olivier Delorme por GALAAD WILGOS, 04/12/2018)

Dito isto, acredito agora que a dissolução da UE deixará de ter lugar de forma pacífica, negociada e regular, como seria desejável. Devido à falta de coragem de todas as forças políticas constituídas, da sua recusa em explicar claramente porque razão é necessário sair deste impasse, da sua teimosia em cultivar ambiguidades e artifícios (Plano A – Plano B, desobediência aos tratados…), o que reflete quer a trágica ilusão de que tudo pode ser mudado neste edifício, quer o desejo de esconder que nada será mudado.
.

Em 1999, uma criança nasceu, de parto prematuro e com deformidades congénitas: o Euro 20 anos depois – alguns textos sobre a sua atribulada existência. Texto nº 14. Uma análise sobre a criação da União Europeia e sobre a sua trajetória até aos dias de hoje – Parte II

(Entrevista a  Olivier Delorme por GALAAD WILGOS, 04/12/2018)

Dito isto, acredito agora que a dissolução da UE deixará de ter lugar de forma pacífica, negociada e regular, como seria desejável. Devido à falta de coragem de todas as forças políticas constituídas, da sua recusa em explicar claramente porque razão é necessário sair deste impasse, da sua teimosia em cultivar ambiguidades e artifícios (Plano A – Plano B, desobediência aos tratados…), o que reflete quer a trágica ilusão de que tudo pode ser mudado neste edifício, quer o desejo de esconder que nada será mudado.
.

Do plano técnico ao plano político: do sistema Target 2 à fragmentação financeira da União Europeia – 13. Expansões monetárias do BCE e desequilíbrios doTARGET2 na zona euro: uma decomposição baseada na balança de pagamentos (2/2). Por Marcello Minenna, Giovanni Dosi e Andrea Roventini

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 13. Expansões monetárias do BCE e desequilíbrios doTARGET2 na zona euro: uma decomposição baseada na balança de pagamentos (2/2)  Por Marcello Minenna – Commissione Nazionale per le Società e la Borsa (CONSOB), Rome,

Do plano técnico ao plano político: do sistema Target 2 à fragmentação financeira da União Europeia – 13. Expansões monetárias do BCE e desequilíbrios doTARGET2 na zona euro: uma decomposição baseada na balança de pagamentos (2/2). Por Marcello Minenna, Giovanni Dosi e Andrea Roventini

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 13. Expansões monetárias do BCE e desequilíbrios doTARGET2 na zona euro: uma decomposição baseada na balança de pagamentos (2/2)  Por Marcello Minenna – Commissione Nazionale per le Società e la Borsa (CONSOB), Rome,

Do plano técnico ao plano político: do sistema Target 2 à fragmentação financeira da União Europeia – 13. Expansões monetárias do BCE e desequilíbrios doTARGET2 na zona euro: uma decomposição baseada na balança de pagamentos (1/2). Por Marcello Minenna, Giovanni Dosi e Andrea Roventini

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 13. Expansões monetárias do BCE e desequilíbrios doTARGET2 na zona euro: uma decomposição baseada na balança de pagamentos (1/2)  Por Marcello Minenna – Commissione Nazionale per le Società e la Borsa (CONSOB), Rome,

Do plano técnico ao plano político: do sistema Target 2 à fragmentação financeira da União Europeia – 13. Expansões monetárias do BCE e desequilíbrios doTARGET2 na zona euro: uma decomposição baseada na balança de pagamentos (1/2). Por Marcello Minenna, Giovanni Dosi e Andrea Roventini

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 13. Expansões monetárias do BCE e desequilíbrios doTARGET2 na zona euro: uma decomposição baseada na balança de pagamentos (1/2)  Por Marcello Minenna – Commissione Nazionale per le Società e la Borsa (CONSOB), Rome,

Do plano técnico ao plano político: do sistema Target 2 à fragmentação financeira da União Europeia – 12. Segregação de risco e fragilidade de mercado na zona euro . Por Marcello Minenna

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 12. Segregação de risco e fragilidade de mercado na zona euro   Por Marcello Minenna Publicado por Financial Times, Alphaville, em em 8 de Junho de 2018 (texto original aqui) O presente texto é de

Do plano técnico ao plano político: do sistema Target 2 à fragmentação financeira da União Europeia – 12. Segregação de risco e fragilidade de mercado na zona euro . Por Marcello Minenna

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 12. Segregação de risco e fragilidade de mercado na zona euro   Por Marcello Minenna Publicado por Financial Times, Alphaville, em em 8 de Junho de 2018 (texto original aqui) O presente texto é de

Do plano técnico ao plano político: do sistema Target 2 à fragmentação financeira da União Europeia – 11. Chegar às euro-obrigações através da reforma do Mecanismo Europeu de Estabilidade (MEE). Por Marcello Minenna

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 11. Chegar às euro-obrigações através da reforma do Mecanismo Europeu de Estabilidade (MEE)  Por Marcello Minenna Publicado por Financial Times, Alphaville, em 21 de novembro de 2017 (texto aqui) O seguinte texto sobre

Do plano técnico ao plano político: do sistema Target 2 à fragmentação financeira da União Europeia – 11. Chegar às euro-obrigações através da reforma do Mecanismo Europeu de Estabilidade (MEE). Por Marcello Minenna

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 11. Chegar às euro-obrigações através da reforma do Mecanismo Europeu de Estabilidade (MEE)  Por Marcello Minenna Publicado por Financial Times, Alphaville, em 21 de novembro de 2017 (texto aqui) O seguinte texto sobre

Do plano técnico ao plano político: do sistema Target 2 à fragmentação financeira da União Europeia – 10. TARGET2 e os Balanços do Banco Central (5/5). Por Karl Whelan

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 10. TARGET2 e os Balanços do Banco Central (5/5) Por Karl Whelan  University College Dublin, Novo rascunho em 17 de março de 2013 (texto original aqui) [Nota do editor: em virtude da extensão do

Do plano técnico ao plano político: do sistema Target 2 à fragmentação financeira da União Europeia – 10. TARGET2 e os Balanços do Banco Central (5/5). Por Karl Whelan

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 10. TARGET2 e os Balanços do Banco Central (5/5) Por Karl Whelan  University College Dublin, Novo rascunho em 17 de março de 2013 (texto original aqui) [Nota do editor: em virtude da extensão do

Do plano técnico ao plano político: do sistema Target 2 à fragmentação financeira da União Europeia – 10. TARGET2 e os Balanços do Banco Central (4/5). Por Karl Whelan

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 10. TARGET2 e os Balanços do Banco Central (4/5) Por Karl Whelan  University College Dublin, Novo rascunho em 17 de março de 2013 (texto original aqui) [Nota do editor: em virtude da extensão do

Do plano técnico ao plano político: do sistema Target 2 à fragmentação financeira da União Europeia – 10. TARGET2 e os Balanços do Banco Central (4/5). Por Karl Whelan

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 10. TARGET2 e os Balanços do Banco Central (4/5) Por Karl Whelan  University College Dublin, Novo rascunho em 17 de março de 2013 (texto original aqui) [Nota do editor: em virtude da extensão do

Em 1999, uma criança nasceu, de parto prematuro e com deformidades congénitas: o Euro 20 anos depois – alguns textos sobre a sua atribulada existência. Texto nº 14. Uma análise sobre a criação da União Europeia e sobre a sua trajetória até aos dias de hoje – Parte I

(Entrevista a  Olivier Delorme por GALAAD WILGOS, 27/12/2018)

Na realidade, a UE é apenas a expressão de vinte e sete cobardias, vinte e sete renúncias a existir por si própria; a UE só pode ser um monstro brando, um gigante indeciso, sem vontade, incapaz de decidir seja o que for e sem agilidade. Hoje como ontem, e talvez mais do que ontem, é melhor ser uma potência média, ágil, que sabe o que quer e coopera em todas as direções com os outros, com base na igualdade e nos benefícios mútuos, do que uma parte impotente de um Império impotente – mais a cana do que o carvalho, parafraseando La Fontaine.

Em 1999, uma criança nasceu, de parto prematuro e com deformidades congénitas: o Euro 20 anos depois – alguns textos sobre a sua atribulada existência. Texto nº 14. Uma análise sobre a criação da União Europeia e sobre a sua trajetória até aos dias de hoje – Parte I

(Entrevista a  Olivier Delorme por GALAAD WILGOS, 27/12/2018)

Na realidade, a UE é apenas a expressão de vinte e sete cobardias, vinte e sete renúncias a existir por si própria; a UE só pode ser um monstro brando, um gigante indeciso, sem vontade, incapaz de decidir seja o que for e sem agilidade. Hoje como ontem, e talvez mais do que ontem, é melhor ser uma potência média, ágil, que sabe o que quer e coopera em todas as direções com os outros, com base na igualdade e nos benefícios mútuos, do que uma parte impotente de um Império impotente – mais a cana do que o carvalho, parafraseando La Fontaine.

Do plano técnico ao plano político: do sistema Target 2 à fragmentação financeira da União Europeia – 10. TARGET2 e os Balanços do Banco Central (3/5). Por Karl Whelan

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 10. TARGET2 e os Balanços do Banco Central (3/5) Por Karl Whelan  University College Dublin, Novo rascunho em 17 de março de 2013 (texto original aqui) [Nota do editor: em virtude da extensão do

Do plano técnico ao plano político: do sistema Target 2 à fragmentação financeira da União Europeia – 10. TARGET2 e os Balanços do Banco Central (3/5). Por Karl Whelan

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 10. TARGET2 e os Balanços do Banco Central (3/5) Por Karl Whelan  University College Dublin, Novo rascunho em 17 de março de 2013 (texto original aqui) [Nota do editor: em virtude da extensão do