Posts Tagged: keynes

É a procura, seu idiota! Por Jean-Luc Gréau

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota Publicado por revista mensal em 1 de setembro de 2019 https://www.pressreader.com/france/causeur/20190901/281509342870332   Da China à América, a procura interna tende a enfraquecer. Se uma subida dos salários poderia evitar uma recessão mundial, os defensores

É a procura, seu idiota! Por Jean-Luc Gréau

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota Publicado por revista mensal em 1 de setembro de 2019 https://www.pressreader.com/france/causeur/20190901/281509342870332   Da China à América, a procura interna tende a enfraquecer. Se uma subida dos salários poderia evitar uma recessão mundial, os defensores

Nuvens bem negras sobre a Europa, sobre o mundo, enquanto lhe vendem a esperança dos amanhãs que cantam – “Os fantasmas de Versalhes”. Por Harold James

      Seleção e tradução de Júlio Marques Mota Os fantasmas de Versalhes  Por Harold James Publicado por  em 1 de fevereiro de 2019 Exatamente 100 anos após o início do processo de paz de Paris que formalizou o

Nuvens bem negras sobre a Europa, sobre o mundo, enquanto lhe vendem a esperança dos amanhãs que cantam – “Os fantasmas de Versalhes”. Por Harold James

      Seleção e tradução de Júlio Marques Mota Os fantasmas de Versalhes  Por Harold James Publicado por  em 1 de fevereiro de 2019 Exatamente 100 anos após o início do processo de paz de Paris que formalizou o

A crítica demolidora de Michael Pettis à teoria e à política económica neoliberal – 15. Estamos a começar a ver porque é que a “Carga” é realmente exorbitante (2ª parte-conclusão). Por Michael Pettis

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 15. Estamos a começar a ver porque é que a “Carga” é realmente exorbitante (2ª parte-conclusão)  Por Michael Pettis Publicado por  em 5 de outubro de 2014   É já tempo E não

A crítica demolidora de Michael Pettis à teoria e à política económica neoliberal – 15. Estamos a começar a ver porque é que a “Carga” é realmente exorbitante (2ª parte-conclusão). Por Michael Pettis

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 15. Estamos a começar a ver porque é que a “Carga” é realmente exorbitante (2ª parte-conclusão)  Por Michael Pettis Publicado por  em 5 de outubro de 2014   É já tempo E não

A crítica demolidora de Michael Pettis à teoria e à política económica neoliberal – 15. Estamos a começar a ver porque é que a “Carga” é realmente exorbitante (1ª parte). Por Michael Pettis

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 15. Estamos a começar a ver porque é que a “Carga” é realmente exorbitante (1ª parte)  Por Michael Pettis Publicado por  em 5 de outubro de 2014 O papel do dólar dos EUA

A crítica demolidora de Michael Pettis à teoria e à política económica neoliberal – 15. Estamos a começar a ver porque é que a “Carga” é realmente exorbitante (1ª parte). Por Michael Pettis

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 15. Estamos a começar a ver porque é que a “Carga” é realmente exorbitante (1ª parte)  Por Michael Pettis Publicado por  em 5 de outubro de 2014 O papel do dólar dos EUA

SOBRE OS LEOPARDOS QUE QUEREM BEM SERVIR BRUXELAS – DA FRANÇA, FALEMOS ENTÃO DA POLÍTICA DE HOLLANDE. – FRANÇA, CRESCIMENTO ZERO – por GIL MIHAELY

Selecção e tradução de Júlio Marques Mota 8. França, crescimento Zero     França, crescimento zero- por falta de competitividade, toda a política está destinada a falhar Gil Mihaely, France, croissance zéro – Faute de compétitivité, toute politique est vouée

SOBRE OS LEOPARDOS QUE QUEREM BEM SERVIR BRUXELAS – DA FRANÇA, FALEMOS ENTÃO DA POLÍTICA DE HOLLANDE. – FRANÇA, CRESCIMENTO ZERO – por GIL MIHAELY

Selecção e tradução de Júlio Marques Mota 8. França, crescimento Zero     França, crescimento zero- por falta de competitividade, toda a política está destinada a falhar Gil Mihaely, France, croissance zéro – Faute de compétitivité, toute politique est vouée

FALEMOS DE ECONOMIA, FALEMOS ENTÃO DE POLÍTICA – SELECÇÃO E TRADUÇÃO DE JÚLIO MARQUES MOTA

Versão portuguesa do texto 1 – B “National Self-Sufficiency” de J. M. Keynes PARTE IV (CONCLUSÃO) … Perante tal facto, observo três perigos entranhados no nacionalismo económico e nos movimentos para a auto-suficiência nacional, que colocam o seu sucesso perigosamente

FALEMOS DE ECONOMIA, FALEMOS ENTÃO DE POLÍTICA – SELECÇÃO E TRADUÇÃO DE JÚLIO MARQUES MOTA

Versão portuguesa do texto 1 – B “National Self-Sufficiency” de J. M. Keynes PARTE IV (CONCLUSÃO) … Perante tal facto, observo três perigos entranhados no nacionalismo económico e nos movimentos para a auto-suficiência nacional, que colocam o seu sucesso perigosamente

FALEMOS DE ECONOMIA, FALEMOS ENTÃO DE POLÍTICA – SELECÇÃO E TRADUÇÃO DE JÚLIO MARQUES MOTA

Versão portuguesa do texto 1 – B “National Self-Sufficiency” de J. M. Keynes PARTE III (CONTINUAÇÃO) … Contudo, isto é apenas uma ilustração. A grande questão para mim é, hoje, o facto de não haver perspectiva de uniformidade de um

FALEMOS DE ECONOMIA, FALEMOS ENTÃO DE POLÍTICA – SELECÇÃO E TRADUÇÃO DE JÚLIO MARQUES MOTA

Versão portuguesa do texto 1 – B “National Self-Sufficiency” de J. M. Keynes PARTE III (CONTINUAÇÃO) … Contudo, isto é apenas uma ilustração. A grande questão para mim é, hoje, o facto de não haver perspectiva de uniformidade de um

FALEMOS DE ECONOMIA, FALEMOS ENTÃO DE POLÍTICA – SELECÇÃO E TRADUÇÃO DE JÚLIO MARQUES MOTA

Versão portuguesa do texto 1 – B “National Self-Sufficiency” de J. M. Keynes PARTE II (continuação) Voltemo-nos para a discussão dessas questões de julgamento duvidoso, onde cada um de nós continuará a ter direito à sua própria opinião, voltemo-nos pois

FALEMOS DE ECONOMIA, FALEMOS ENTÃO DE POLÍTICA – SELECÇÃO E TRADUÇÃO DE JÚLIO MARQUES MOTA

Versão portuguesa do texto 1 – B “National Self-Sufficiency” de J. M. Keynes PARTE II (continuação) Voltemo-nos para a discussão dessas questões de julgamento duvidoso, onde cada um de nós continuará a ter direito à sua própria opinião, voltemo-nos pois

FALEMOS DE ECONOMIA, FALEMOS ENTÃO DE POLÍTICA – SELECÇÃO E TRADUÇÃO DE JÚLIO MARQUES MOTA

Versão portuguesa do texto 1 – B “National Self-Sufficiency” de J. M. Keynes Parte I Fui ensinado, como a maioria dos ingleses, a respeitar o livre-comércio, não apenas como uma doutrina económica sobre a qual nenhum ser racional e instruído

FALEMOS DE ECONOMIA, FALEMOS ENTÃO DE POLÍTICA – SELECÇÃO E TRADUÇÃO DE JÚLIO MARQUES MOTA

Versão portuguesa do texto 1 – B “National Self-Sufficiency” de J. M. Keynes Parte I Fui ensinado, como a maioria dos ingleses, a respeitar o livre-comércio, não apenas como uma doutrina económica sobre a qual nenhum ser racional e instruído

PARTICULARIDADES À VOLTA DA VERSÃO PORTUGUESA DO TEXTO “NATIONAL SELF-SUFFICIENCY” DE J. M. KEYNES – por JÚLIO MARQUES MOTA

Já depois de deixar de leccionar chegou-me às mãos um texto que transcrevia um debate sobre a Livre-Troca, mais precisamente, Free trade in the new global economy:a discussion on the state of u.s. trade policy, publicado por The Brookings Institution,

PARTICULARIDADES À VOLTA DA VERSÃO PORTUGUESA DO TEXTO “NATIONAL SELF-SUFFICIENCY” DE J. M. KEYNES – por JÚLIO MARQUES MOTA

Já depois de deixar de leccionar chegou-me às mãos um texto que transcrevia um debate sobre a Livre-Troca, mais precisamente, Free trade in the new global economy:a discussion on the state of u.s. trade policy, publicado por The Brookings Institution,

FALEMOS DE ECONOMIA, FALEMOS ENTÃO DE POLÍTICA – SELECÇÃO E TRADUÇÃO DE JÚLIO MARQUES MOTA

Texto 1-B:   J. M. Keynes “National Self-Sufficiency“, na versão original, em inglês. PARTE IV (CONCLUSÃO) … From these reflections on the proper purposes of the state, I return to the world of contemporary politics. Having sought to understand and to

FALEMOS DE ECONOMIA, FALEMOS ENTÃO DE POLÍTICA – SELECÇÃO E TRADUÇÃO DE JÚLIO MARQUES MOTA

Texto 1-B:   J. M. Keynes “National Self-Sufficiency“, na versão original, em inglês. PARTE IV (CONCLUSÃO) … From these reflections on the proper purposes of the state, I return to the world of contemporary politics. Having sought to understand and to

FALEMOS DE ECONOMIA, FALEMOS ENTÃO DE POLÍTICA – SELECÇÃO E TRADUÇÃO DE JÚLIO MARQUES MOTA

Texto 1-B:   J. M. Keynes “National Self-Sufficiency“, na versão original, em inglês. PARTE III (CONTINUAÇÃO) … But this is merely an illustration. It is my central contention that there is no prospect for the next generation of a uniformity of

FALEMOS DE ECONOMIA, FALEMOS ENTÃO DE POLÍTICA – SELECÇÃO E TRADUÇÃO DE JÚLIO MARQUES MOTA

Texto 1-B:   J. M. Keynes “National Self-Sufficiency“, na versão original, em inglês. PARTE III (CONTINUAÇÃO) … But this is merely an illustration. It is my central contention that there is no prospect for the next generation of a uniformity of

FALEMOS DE ECONOMIA, FALEMOS ENTÃO DE POLÍTICA – SELECÇÃO E TRADUÇÃO DE JÚLIO MARQUES MOTA

Texto 1-B:   J. M. Keynes “National Self-Sufficiency“, na versão original, em inglês. Parte II (continuação) … Let us turn from these questions of doubtful judgment, where each of us will remain entitled to his own opinion, to a matter more

FALEMOS DE ECONOMIA, FALEMOS ENTÃO DE POLÍTICA – SELECÇÃO E TRADUÇÃO DE JÚLIO MARQUES MOTA

Texto 1-B:   J. M. Keynes “National Self-Sufficiency“, na versão original, em inglês. Parte II (continuação) … Let us turn from these questions of doubtful judgment, where each of us will remain entitled to his own opinion, to a matter more