Posts Tagged: romantismo

O ROMANTISMO SOCIAL PORTUGUÊS – IX – Cesário Verde. Por Sílvio Castro.

Cesário Verde, nascido em 1855 e morto em 1886, representa um singular fenômeno no quadro geral do romantismo português. Com ele a poesia de Portugal ganha improvisamente uma modernidade desconhecida. Seus poemas, mesmo participando de uma longa tradição, rompe com

O ROMANTISMO SOCIAL PORTUGUÊS – 8 – Guerra Junqueiro. Por Sílvio Castro.

Possivelmente Guerra Junqueira será o mais popular poeta do romantismo comparticipante do social em Portugal, não somente preso pelo seu público nacional, mas igualmente entre os brasileiros de seu tempo. No Brasil como que se ombreia com Castro Alves, o

LITERATURA E SOCIEDADE – A PROPÓSITO DO ROMANTISMO SOCIAL PORTUGUÊS, DE SÍLVIO CASTRO

Por João Machado Esta nota já tinha sido publicado no Estrolabio, em Fevereiro de 2011. Publicamo-la hoje n’A Viagem dos Argonautas para realçar a importância do pensamento de Garrett, no seu tempo, e depois, na sequência da série O Romantismo

O ROMANTISMO SOCIAL PORTUGUÊS – VII – TEÓFILO BRAGA. Por Sílvio Castro.

A história civil e cultural de Teófilo Braga está sempre muito ligada àquela de Antero de Quental. Ambos filhos da mesma Ponta Delgada, se distinguem inicialmente pelas correspondentes origens familiares. Enquanto Antero nasce e cresce num ambiente de elevadas condições

O ROMANTISMO SOCIAL PORTUGUÊS – VI – Antero de Quental. Por Sílvio Castro.

A exaltação da utopia enquanto fator de existência informa praticamente toda a vida de Antero de Quental. Com uma conclusão aparentemente contraditória, o suicídio, a procurada solitária morte no banco do jardim público de Ponte Delgada, em 11 de Setembro

O ROMANTISMO SOCIAL PORTUGUÊS – V – JOÃO DE DEUS. Por Sílvio Castro.

  Ao contrário de quanto sucede com Soares de Passos, ninguém, e não só em Portugal, se colocará contra a afirmação de que João de Deus é um dos mais representativos poetas do romantismo social português. Paradoxalmente, em aparência, o

O Romantismo social português – IV – Soares de Passos. Por Sílvio Castro.

Não a poucos causará surpresa a colocação do poeta de “O Noivado do Sepulcro” entre os nomes mais representativos do Romantismo social português. Como consequência de uma demasiada repetição sobre o discutível conceito de ultra-romantismo, ele é sempre visto como

O ROMANTISMO SOCIAL PORTUGUÊS – III – Herculano. Por Sílvio Castro.

Alexandre Herculano é a primeira grande figura literária inteiramente formada e integrada no Movimento romântico. O seu romantismo é total, pois envolve o autor em todas as suas manifestações e criações. Em Herculano, desde a mocidade, a expressão romântica tem

O ROMANTISMO SOCIAL PORTUGUÊS: II – Almeida Garrett, por Sílvio Castro.

Almeida Garrett é, quase certamente, o primeiro romântico na literatura portuguesa que incorpora a uma inicial predisposição individualista determinada consciência política. Daí a sua particular importância no quadro do Romantismo social português, para o qual traz marcantes contribuições. Escritor de

O ROMANTISMO SOCIAL PORTUGUÊS: II – Almeida Garrett, por Sílvio Castro.

Almeida Garrett é, quase certamente, o primeiro romântico na literatura portuguesa que incorpora a uma inicial predisposição individualista determinada consciência política. Daí a sua particular importância no quadro do Romantismo social português, para o qual traz marcantes contribuições. Escritor de

O ROMANTISMO SOCIAL PORTUGUÊS – I – CONSIDERAÇÕES GERAIS. Por Sílvio Castro.

Movimento de vanguarda, possivelmente o primeiro nesse sentido, o Romantismo se apresenta historicamente em forma complexa, englobando e propondo as mais diversas dimensões para a nova criação literária. Herdeiro dos melhores valores da tradição neo-clássica, entretanto logo se mostra contrário

O ROMANTISMO SOCIAL PORTUGUÊS – I – CONSIDERAÇÕES GERAIS. Por Sílvio Castro.

Movimento de vanguarda, possivelmente o primeiro nesse sentido, o Romantismo se apresenta historicamente em forma complexa, englobando e propondo as mais diversas dimensões para a nova criação literária. Herdeiro dos melhores valores da tradição neo-clássica, entretanto logo se mostra contrário