Posts Tagged: crise global

CARTA DE BARCELONA – Despropòsits i propòsits d’un món mal encarrilat – por JOSEP A. VIDAL

    Probablement n’hi ha prou amb l’evidència per constatar la incapacitat de les institucions polítiques, de qualsevol abast, nacional o internacional, i en qualsevol terreny pràctic, ideològic o axiològic, per fer cara amb solvència als reptes que, en el

CARTA DE BARCELONA – Despropòsits i propòsits d’un món mal encarrilat – por JOSEP A. VIDAL

    Probablement n’hi ha prou amb l’evidència per constatar la incapacitat de les institucions polítiques, de qualsevol abast, nacional o internacional, i en qualsevol terreny pràctic, ideològic o axiològic, per fer cara amb solvència als reptes que, en el

EDITORIAL – O PIOR ESTÁ CADA VEZ MAIS AÍ

Enquanto se prepara a campanha final para a eleição do presidente norte-americano, que promete ser renhida, entre dois candidat@s, que del@s @ pior, e Portugal parece bem encaminhado para não ser sancionado pelo incumprimento da chamada regra do défice, pelo

EDITORIAL – O PIOR ESTÁ CADA VEZ MAIS AÍ

Enquanto se prepara a campanha final para a eleição do presidente norte-americano, que promete ser renhida, entre dois candidat@s, que del@s @ pior, e Portugal parece bem encaminhado para não ser sancionado pelo incumprimento da chamada regra do défice, pelo

O LEVANTAR DO VÉU – por DOMINGOS FERREIRA

Sabia que a Goldman and Sachs, o Citygroup, o Wells Fargo e outros semelhantes apostaram biliões de dólares na destruição do euro? Se o EURO cair ou desvalorizar eles ganham milhões! Sabia que obtiveram avultadíssimos lucros durante a crise financeira

O LEVANTAR DO VÉU – por DOMINGOS FERREIRA

Sabia que a Goldman and Sachs, o Citygroup, o Wells Fargo e outros semelhantes apostaram biliões de dólares na destruição do euro? Se o EURO cair ou desvalorizar eles ganham milhões! Sabia que obtiveram avultadíssimos lucros durante a crise financeira

EDITORIAL – O OCIDENTE CONTRA O ORIENTE

O afluxo dos refugiados à Europa tem merecido muitas reflexões, mas nem assim melhora a atitude dos estados europeus e da União Europeia, em relação a quem lhe pede asilo, e sobretudo em relação às nações de onde eles são

EDITORIAL – O OCIDENTE CONTRA O ORIENTE

O afluxo dos refugiados à Europa tem merecido muitas reflexões, mas nem assim melhora a atitude dos estados europeus e da União Europeia, em relação a quem lhe pede asilo, e sobretudo em relação às nações de onde eles são

DE BRUXELAS, ONDE REINA A IGNORÂNCIA E A MALDADE, À REALIDADE DOS PAÍSES EM IMPLOSÃO – 2. A CRISE DOS ANOS A SEGUIR A 2010 – REFORMAS ESTRUTURAIS: DO QUE É QUE SE ESTÁ A FALAR (2.ª PARTE) – por JEAN CLAUDE WERREBROUCK.

Selecção e tradução de Júlio Marques Mota Reformas estruturais: do que é que se está a falar? (2ª parte) Haverá  reformas estruturais que possam ser benéficas para todos os que participam no  jogo? Jean Claude Werrebrouck, Réformes structurelles: De quoi parle-

DE BRUXELAS, ONDE REINA A IGNORÂNCIA E A MALDADE, À REALIDADE DOS PAÍSES EM IMPLOSÃO – 2. A CRISE DOS ANOS A SEGUIR A 2010 – REFORMAS ESTRUTURAIS: DO QUE É QUE SE ESTÁ A FALAR (2.ª PARTE) – por JEAN CLAUDE WERREBROUCK.

Selecção e tradução de Júlio Marques Mota Reformas estruturais: do que é que se está a falar? (2ª parte) Haverá  reformas estruturais que possam ser benéficas para todos os que participam no  jogo? Jean Claude Werrebrouck, Réformes structurelles: De quoi parle-

DE BRUXELAS, ONDE REINA A IGNORÂNCIA E A MALDADE, À REALIDADE DOS PAÍSES EM IMPLOSÃO – 2. A CRISE DOS ANOS A SEGUIR A 2010 – REFORMAS ESTRUTURAIS: DO QUE É QUE SE ESTÁ A FALAR (1.ª PARTE) – REFLEXÃO SOBRE A CRISE ECONÓMICA GLOBAL – por JEAN CLAUDE WERREBROUCK.

  Selecção e tradução por Júlio Marques Mota A linguagem de Bruxelas: as reformas estruturais Reformas estruturais: do que é que  se está a falar? (1ª parte) Jean Claude Werrebrouck, Réformes structurelles: De quoi parle- t-on? (1ère partie) – La crise

DE BRUXELAS, ONDE REINA A IGNORÂNCIA E A MALDADE, À REALIDADE DOS PAÍSES EM IMPLOSÃO – 2. A CRISE DOS ANOS A SEGUIR A 2010 – REFORMAS ESTRUTURAIS: DO QUE É QUE SE ESTÁ A FALAR (1.ª PARTE) – REFLEXÃO SOBRE A CRISE ECONÓMICA GLOBAL – por JEAN CLAUDE WERREBROUCK.

  Selecção e tradução por Júlio Marques Mota A linguagem de Bruxelas: as reformas estruturais Reformas estruturais: do que é que  se está a falar? (1ª parte) Jean Claude Werrebrouck, Réformes structurelles: De quoi parle- t-on? (1ère partie) – La crise

INFORMAÇÃO IMPORTANTE SOBRE A GRÉCIA. Por Júlio Marques Mota.

  Informação importante sobre a Grécia Aqui está o recente plano alemão para a austeridade na Grécia e que deixou este país completamente furioso com a Troika e talvez com um antigo aluno meu também, porque é personagem importante da

INFORMAÇÃO IMPORTANTE SOBRE A GRÉCIA. Por Júlio Marques Mota.

  Informação importante sobre a Grécia Aqui está o recente plano alemão para a austeridade na Grécia e que deixou este país completamente furioso com a Troika e talvez com um antigo aluno meu também, porque é personagem importante da

António Pinho Vargas fala-nos da grande conspiração mundial sem rosto que já vislumbramos mas ainda não sabemos como combater

Do blogue do autor, com o nosso agradecimento Tenho de confessar que não quero comentar o orçamento. Basta dizer que é medonho. O resto dizem milhares de pessoas das mais diversas maneiras. Aquilo que me preocupa mais, neste momento, é

António Pinho Vargas fala-nos da grande conspiração mundial sem rosto que já vislumbramos mas ainda não sabemos como combater

Do blogue do autor, com o nosso agradecimento Tenho de confessar que não quero comentar o orçamento. Basta dizer que é medonho. O resto dizem milhares de pessoas das mais diversas maneiras. Aquilo que me preocupa mais, neste momento, é

DIÁRIO DE BORDO, 26 de Agosto de 2012

  Na segunda-feira passada, 20 de Agosto, José Goulão recordava-nos que:  “a crise é ela mesma a estratégia para impor o regresso a relações esclavagistas de trabalho”. Na realidade a crise não é um estado de coisas incontrolado, é sim

DIÁRIO DE BORDO, 26 de Agosto de 2012

  Na segunda-feira passada, 20 de Agosto, José Goulão recordava-nos que:  “a crise é ela mesma a estratégia para impor o regresso a relações esclavagistas de trabalho”. Na realidade a crise não é um estado de coisas incontrolado, é sim

UE, AFTERMATH

Sábado, Julho 21, 2012 UE, aftermath No passado dia 6 de Julho, a ministra das Finanças finlandesa afirmou que preferia preparar-se para sair do euro do que pagar as dívidas dos outros países. Foi também a 6 de Julho que

UE, AFTERMATH

Sábado, Julho 21, 2012 UE, aftermath No passado dia 6 de Julho, a ministra das Finanças finlandesa afirmou que preferia preparar-se para sair do euro do que pagar as dívidas dos outros países. Foi também a 6 de Julho que