Posts Tagged: tempo

UMA CARTA DO PORTO – IMAGEM E POESIA (139) – Por José Fernando Magalhães (330)

IMAGEM E POESIA (139)   O HOMEM QUE SE SENTA À MINHA FRENTE . . O homem que se senta à minha frente Conversa comigo de coisa nenhuma. Que espera ele que eu lhe diga? De que coisas banais poderíamos

UMA CARTA DO PORTO – Por José Fernando Magalhães (328)

NO TEMPO EM QUE AINDA SE SAÍA À RUA     No tempo em que ainda se podia sair à rua, ninguém sabia o quanto isso era bom. Só apreciamos o que nos falta. As tarefas mais enfadonhas são hoje

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (138)

. REFLEXÃO     A cadeira de lona convida à reflexão O café fumegante desperta os sentidos O sol, no seu ocaso, fala de amor, De tempos idos, De carinho e de paixão, Antes da chegada dos ventos frios, E

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (129)

OU NOUTRO QUALQUER LUGAR     Falando do tempo E da minha desejada eternidade Escrevo do dia que há-de vir Recomeçando o movimento Da escrita das palavras Mostrando o resíduo da dor Como se tivesse a certeza De que amanhã,

A GALIZA COMO TAREFA – nada de dramas – Ernesto V. Souza

Apanhou-me a mudança de Governo da Espanha desenferrujando uma velha pá de jardim e mangando-a de novo com uma madeira de reciclagem topada na rua. Serras, plaina, limas e lixa. Agora está pronta, de cabo bem firme e pintadinha, transformada

A GALIZA COMO TAREFA – formas – Ernesto V. Souza

Como surpreende sempre o tempo. Sabemos que passa, e o que é pior: constatamos, ao parar, que realmente passa. Mas no decorrer dos dias não sempre somos conscientes de como muda tudo, mesmo que tal lembrem sonetos, na idade ligeira.

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (116)

QUE VALHA A PENA Já me falta o tempo Escasseia, Escorre por entre os dedos, Como se fosse areia. Já consigo adivinhar o fim da jornada Perdi-o pelo caminho, procurando medos. Maldito tempo, Transformado em nada. . Já não tenho

CARTA DE BRAGA – “AS ESTRELAS NO CÉU DA SERRA” – por ANTÓNIO OLIVEIRA

    No último dia do ano passado, o escritor e comentarista Manuel Vicent escreveu no “El País” que nunca se fazem anos, antes se comemoram a saúde ou a doença, a ilusão ou o desengano! Acrescentou, a justificar tal

UM TEMPO SEM TEMPO por Luísa Lobão Moniz

É um tempo já sem tempo, é um entretempo cheio de outros tempos todos diferentes. É o tempo das grandes variações climáticas que os poderosos do mundo teimam em rejeitar. A verdade é que parece estar tudo fora do seu

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (103)

COMO EM QUALQUER OUTRO LUGAR   Falando do tempo E da minha desejada eternidade Escrevo do dia que há-de vir Recomeçando o movimento Da escrita das palavras Mostrando o resíduo da dor Como se tivesse a certeza De que amanhã,

ANTONIO CANDIDO: “TEMPO É O TECIDO DA NOSSA VIDA…” – enviado pelo CAMILO JOSEPH

  “Acho que uma das coisas mais sinistras da história da civilização ocidental é o famoso dito atribuído a Benjamim Franklin, ‘tempo é dinheiro’. Isso é uma monstruosidade. Tempo não é dinheiro. Tempo é o tecido da nossa vida, é

A FINITUDE HUMANA por Luísa Lobão Moniz

O tempo passa, ou melhor, transforma-se noutro tempo. Esse outro tempo é pacífico para muitos, mas para outros está cheio de inquietudes. A inquietação faz mover a coesão social. A inquietação interpela, cria novos momentos em que o tempo nos

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (74)

CONFORME O TEMPO PASSA     Conforme o tempo passa E envelheço, Rejuvenesço E sinto-me igual a ti Perdendo-te e encontrando-te Esquecendo as curvas do teu corpo E relembrando as perigosas acrobacias Da minha entrega à tua força E à

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (51)

ESCREVO PARA NÃO ME ESQUECER   Quando escrevo Não envelheço Olho os livros que enchem a casa Respiro o tempo e as palavras Que não mereço Olvido os nomes e as datas Que alguma vez tenha dito Torno presente o

E ESTE VAZIO QUE NOS EMBALA por Luísa Lobão Moniz

Tempo é preciso…quem vive tem tempo. Mas que tempo? Tempo do relógio? do crescimento? de uma fotografia? Ou tempo para ter tempo… Vem dia, vem noite, nasce o sol, nasce a lua, não é preciso, tempo, cada um é o