Posts Tagged: liberdade

APJD – ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE JURISTAS DEMOCRATAS – JURISTAS PORTUGUESES EM KIEV OBSERVAM JULGAMENTO DO PARTIDO COMUNISTA UCRANIANO – COMUNICADO À COMUNICAÇÃO SOCIAL

 COMUNICADO   Juristas portugueses em Kiev observam julgamento do Partido Comunista Ucraniano – Comunicado à Comunicação Social  A Associação Portuguesa de Juristas Democratas (APJD) vai enviar dois representantes, com o estatuto de observadores, ao julgamento que visa a ilegalização do

MARIA TERESA HORTA E “A ESCOLA E OS CRAVOS” por Luísa Lobão Moniz

  Obrigada a todos quantos foram ao lançamento do livro “A Escola e os Cravos” no dia 17 de Março. Estava um fim de tarde em que a chuva não dava tréguas. …mas, nem que chova picaretas, lá vamos para

EDITORIAL – LIBERDADE DE APRENDER OU DE NÃO APRENDER

Parece que no congresso do CDS se vai discutir a liberdade de aprender. Isto porque cinco secretários de estado do mesmo partido estarão “legitimamente preocupados com o impacto que o alargamento da escolaridade obrigatória” possa ter no abandono escolar e

RETRATOS, IMAGENS, SÍNTESE DOS EFEITOS DA CRISE DA ZONA EURO SOBRE CADA PAÍS

Selecção e tradução por Júlio Marques Mota Julgados por uma  acção na sede do PS, membros da Génération identitaire evocam “um azar, um acaso” François Béguin, Le Monde Militantes da extrema-direita colocaram uma bandeira  ‘Hollande,  démission’ a partir do terraço

A CANETA MÁGICA – A DEMOCRACIA É UMA TIRANIA

Tenho tentado estabelecer a diferença entre a Liberdade, que tem sido o objectivo das grandes movimentações populares contra as tiranias, e as «liberdades», que são a lepra que tem minado o esforço de libertação. «Être libre, ce n’est pas pouvoir

EDITORIAL: A LIBERDADE É UMA COISA COMPLEXA

O recente massacre numa escola norte-americana abriu uma discussão sobre a facilidade com que nos EUA se tem acesso a armas de fogo. Entretanto na cadeia de televisão CNN, um comentador, Piers Morgan, de nacionalidade britânica, num debate com elementos

RELIGIÕES E LIBERDADES, por Fernando Pereira Marques

 Este texto foi publicado no Estrolabio em 10 de Setembro de 2010 Na Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, de Agosto de 1789, a questão da liberdade religiosa surge imediatamente seguida pela da liberdade de expressão e de

O ROMANTISMO SOCIAL PORTUGUÊS: II – Almeida Garrett, por Sílvio Castro.

Almeida Garrett é, quase certamente, o primeiro romântico na literatura portuguesa que incorpora a uma inicial predisposição individualista determinada consciência política. Daí a sua particular importância no quadro do Romantismo social português, para o qual traz marcantes contribuições. Escritor de

O ROMANTISMO SOCIAL PORTUGUÊS – I – CONSIDERAÇÕES GERAIS. Por Sílvio Castro.

Movimento de vanguarda, possivelmente o primeiro nesse sentido, o Romantismo se apresenta historicamente em forma complexa, englobando e propondo as mais diversas dimensões para a nova criação literária. Herdeiro dos melhores valores da tradição neo-clássica, entretanto logo se mostra contrário