Posts Tagged: nada

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (124)

      ERA QUASE NADA     Quase com cuidado Muito ao de leve O silêncio foi quebrado. Era quase nada! Como se fora Do cair da neve O rumor que se adivinhava. Ou talvez da leve brisa De

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (124)

      ERA QUASE NADA     Quase com cuidado Muito ao de leve O silêncio foi quebrado. Era quase nada! Como se fora Do cair da neve O rumor que se adivinhava. Ou talvez da leve brisa De

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (119)

  SEDUÇÃO     Quero seduzir-te Fazer-te parte de mim E levar-te por bons e por maus caminhos, Quero usar as minhas ironias Apreciar as tuas graças E utilizar a subtileza das palavras, Mas, nada. Fico à espera de uma

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (119)

  SEDUÇÃO     Quero seduzir-te Fazer-te parte de mim E levar-te por bons e por maus caminhos, Quero usar as minhas ironias Apreciar as tuas graças E utilizar a subtileza das palavras, Mas, nada. Fico à espera de uma

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (85)

AMANHEÇO MUITO CEDO, E ENCHO-ME DE MEDO     Tem dias em que abafo Preso nestas paredes De pedra Dias compridos onde vagueio Entre palavras E deambulo de quarto em quarto De sala em sala Abafado entre muitas sedes Tem

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (85)

AMANHEÇO MUITO CEDO, E ENCHO-ME DE MEDO     Tem dias em que abafo Preso nestas paredes De pedra Dias compridos onde vagueio Entre palavras E deambulo de quarto em quarto De sala em sala Abafado entre muitas sedes Tem

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (69)

MAS, NADA! Quero seduzir-te Fazer-te parte de mim E levar-te por bons e por maus caminhos, Quero usar as minhas ironias Apreciar as tuas graças E utilizar a subtileza das palavras, Mas, nada. Fico à espera de uma palavra tua

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (69)

MAS, NADA! Quero seduzir-te Fazer-te parte de mim E levar-te por bons e por maus caminhos, Quero usar as minhas ironias Apreciar as tuas graças E utilizar a subtileza das palavras, Mas, nada. Fico à espera de uma palavra tua

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (56)

  PINTO O MEU POEMA Pinto o meu poema E desenho o meu caminho Num mar de letras. Às vezes junto alfazema Outras jasmim, Tudo no mesmo cadinho E às vezes umas fraquezas. Pinto o amor As cores, Os cheiros

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (56)

  PINTO O MEU POEMA Pinto o meu poema E desenho o meu caminho Num mar de letras. Às vezes junto alfazema Outras jasmim, Tudo no mesmo cadinho E às vezes umas fraquezas. Pinto o amor As cores, Os cheiros

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (15)

NADA Quero seduzir-te Fazer-te parte de mim E levar-te por bons e por maus caminhos, Quero usar as minhas ironias Apreciar as tuas graças E utilizar a subtileza das palavras, Mas, nada. Fico à espera de uma palavra tua E,

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (15)

NADA Quero seduzir-te Fazer-te parte de mim E levar-te por bons e por maus caminhos, Quero usar as minhas ironias Apreciar as tuas graças E utilizar a subtileza das palavras, Mas, nada. Fico à espera de uma palavra tua E,

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (10)

QUASE COM CUIDADO   Quase com cuidado Muito ao de leve O silêncio foi quebrado. Era quase nada! Como se fora Do cair da neve O rumor que se adivinhava. Ou talvez da leve brisa De tão leve Mal se

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (10)

QUASE COM CUIDADO   Quase com cuidado Muito ao de leve O silêncio foi quebrado. Era quase nada! Como se fora Do cair da neve O rumor que se adivinhava. Ou talvez da leve brisa De tão leve Mal se

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (7)

TEM DIAS   Tem dias em que abafo Preso nestas paredes De pedra Dias compridos onde vagueio Entre palavras E deambulo de quarto em quarto De sala em sala Abafado entre muitas sedes Tem dias em que me sinto assim

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (7)

TEM DIAS   Tem dias em que abafo Preso nestas paredes De pedra Dias compridos onde vagueio Entre palavras E deambulo de quarto em quarto De sala em sala Abafado entre muitas sedes Tem dias em que me sinto assim