Posts Tagged: mar

IMAGEM E POESIA – Por José Fernando Magalhães (141)

. .. DIA INTERNACIONAL DA LÍNGUA PORTUGUESA . DA MINHA LÍNGUA VÊ-SE O MAR . . . . Da minha Língua vê-se o mar Assim Virgílio o afirmava, Reflexo da Alma e da cultura do meu Povo. Na minha Língua

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (127)

  O MAR DA FOZ     Ondas enormes batem no farol. Sentado na esplanada Do castelo da Foz Olho o mar Por entre camadas de sol E de nuvens de água feita em nada. Ouço das ondas a voz

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (100)

O MAR DA FOZ   Ondas enormes batem no farol. Sentado na esplanada Do castelo da Foz Olho o mar Por entre camadas de sol E de nuvens de água feita em nada. Ouço das ondas a voz Que se

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (185)

O MOLHE DE CARREIROS (2) A 25 de Maio p.p., escrevi sobre o molhe de Carreiros e sobre o estado deplorável em que se encontrava (Carta nº183).   Passaram-se duas semanas e a A.P.D L., por certo que não por

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (181)

O PORTO EM IMAGENS (26)   Ali, junto ao mar da Foz há quase oito anos!       Terminal Rodoviário do Campo 24 de Agosto   Arquiteto Francisco Sousa Rio orienta visita virtual à frente marítima do Porto “A

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (164)

O PORTO EM IMAGENS (20) Cidade do Porto, terra de Brumas, de Sal e de Mar.               TERRA FANTÁSTICA, NOBRE E LEAL, QUE CONVIDA AO RECOLHIMENTO, À PAZ E AO ROMANCE. É BOM VIVER

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (88)

CONTIGO, ENFUNO AS VELAS   Sou um barco com velas Que no mar agitado do meu pensamento Entre o desejo da partida E a delonga da chegada Nunca mais chega. Não anda sem ti Que és água e vento e

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (80)

E AS GAIVOTAS TAMBÉM, UM POUCO!     O local é outro Mas é o mesmo mar Com os carneiros de vento Com as escadas das ondas Com a calma do lamento, A incerteza de dar Acerto às minhas contas,

A GALIZA COMO TAREFA – deitado no mar – Ernesto V. Souza

Deitado no mar calmo e limpo. Com o sol no rosto, única parte do corpo, com os pés, fora da água, deixando que o mar frio do norte embale o corpo nas ondas. Posso ficar assim minutos, a deixar que a

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (65)

SOU UM BARCO COM VELAS   Sou um barco com velas Que no mar agitado do meu pensamento Entre o desejo da partida E a delonga da chegada Nunca mais chega. Não anda sem ti Que és água e vento

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (56)

  PINTO O MEU POEMA Pinto o meu poema E desenho o meu caminho Num mar de letras. Às vezes junto alfazema Outras jasmim, Tudo no mesmo cadinho E às vezes umas fraquezas. Pinto o amor As cores, Os cheiros

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (43)

A VIDA CHEGA-ME A vida chega-me, pungente Em ondas Tal e qual o mar Tal e qual o vento Como no momento presente Que depois hei-de lembrar. Chega-me simples, complexa Dormente No dia de hoje, ao sol poente Com o

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (34)

O MAR É OUTRO O local é outro Mas é o mesmo mar Com os carneiros de vento Com as escadas das ondas Com a calma do lamento, A incerteza de dar Acerto às minhas contas, E ao meu amor,

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (33)

PERCO-ME A OLHAR Perco-me a olhar A olhar É grande e belo, O mar. Passa longe um vapor Passa Quem sabe que segredos Transporta. Quanto de ódio Quanto de amor   (In Uma, Duas Vezes e Três)