Posts Tagged: cmp

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (184)

  O PORTO EM IMAGENS (28)                         A APRESENTAÇÃO DO LIVRO, É NESTE SÁBADO AGRADEÇO A VOSSA COMPARÊNCIA      

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (184)

  O PORTO EM IMAGENS (28)                         A APRESENTAÇÃO DO LIVRO, É NESTE SÁBADO AGRADEÇO A VOSSA COMPARÊNCIA      

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (179)

ALMINHAS (4) As Alminhas, poética devoção da alma cristã portuguesa, são verdadeiramente estigmas da piedade e religiosidade portuguesa. (Pde. Francisco Babo em «Alminhas» Padrões de Portugal Cristão) Na Freguesia de Cedofeita, encontrei três desses Monumentos .        

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (179)

ALMINHAS (4) As Alminhas, poética devoção da alma cristã portuguesa, são verdadeiramente estigmas da piedade e religiosidade portuguesa. (Pde. Francisco Babo em «Alminhas» Padrões de Portugal Cristão) Na Freguesia de Cedofeita, encontrei três desses Monumentos .        

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (164)

O PORTO EM IMAGENS (20) Cidade do Porto, terra de Brumas, de Sal e de Mar.               TERRA FANTÁSTICA, NOBRE E LEAL, QUE CONVIDA AO RECOLHIMENTO, À PAZ E AO ROMANCE. É BOM VIVER

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (164)

O PORTO EM IMAGENS (20) Cidade do Porto, terra de Brumas, de Sal e de Mar.               TERRA FANTÁSTICA, NOBRE E LEAL, QUE CONVIDA AO RECOLHIMENTO, À PAZ E AO ROMANCE. É BOM VIVER

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (155)

ASSIM A MODOS COMO QUE DE UMA CARTA ABERTA SE TRATE   Já lá vão mais de nove anos (4 de Julho de 2007), que, pela primeira vez, decidi escrever uma carta aberta a alguém importante. Publiquei-a num jornal da

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (155)

ASSIM A MODOS COMO QUE DE UMA CARTA ABERTA SE TRATE   Já lá vão mais de nove anos (4 de Julho de 2007), que, pela primeira vez, decidi escrever uma carta aberta a alguém importante. Publiquei-a num jornal da

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (152)

CAPELA DOS ALFAIATES NOSSA SENHORA DE AGOSTO Quase passa despercebida a capela que, se olhássemos, veríamos à nossa esquerda. Ali encaixada entre duas ruas e a uma escassa trintena de metros da rua por onde estávamos a passar. Nunca para

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (152)

CAPELA DOS ALFAIATES NOSSA SENHORA DE AGOSTO Quase passa despercebida a capela que, se olhássemos, veríamos à nossa esquerda. Ali encaixada entre duas ruas e a uma escassa trintena de metros da rua por onde estávamos a passar. Nunca para

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (150)

CEMITÉRIO PARA CAVALOS E BURROS NA CIDADE DO PORTO Há, no nosso País, poucos cemitérios para animais irracionais. Os mais conhecidos ficam na capital e na Vila da Feira. Dizem até que, nesses, dedicados quase exclusivamente a cães e a

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (150)

CEMITÉRIO PARA CAVALOS E BURROS NA CIDADE DO PORTO Há, no nosso País, poucos cemitérios para animais irracionais. Os mais conhecidos ficam na capital e na Vila da Feira. Dizem até que, nesses, dedicados quase exclusivamente a cães e a

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (134)

O PORTO EM IMAGENS (1) Entramos num período de descanso, nosso e vosso. Anualmente, entre Junho e Agosto, assim fazemos. Deixamos de lado a História e as histórias e deleitamo-nos a contemplar algumas imagens da nossa amada cidade, sem critério

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (134)

O PORTO EM IMAGENS (1) Entramos num período de descanso, nosso e vosso. Anualmente, entre Junho e Agosto, assim fazemos. Deixamos de lado a História e as histórias e deleitamo-nos a contemplar algumas imagens da nossa amada cidade, sem critério

UMA CARTA DO PORTO: Por José Magalhães (131)

O QUARTEL DE SÃO BRÁS – O ESTADO DO PATRIMÓNIO   Esquecido e abandonado, o quartel de São Brás, desactivado em 1993 pelo Estado-Maior do Exército, foi construído no mesmo local onde houvera um fortim consagrado ao mesmo santo, nos

UMA CARTA DO PORTO: Por José Magalhães (131)

O QUARTEL DE SÃO BRÁS – O ESTADO DO PATRIMÓNIO   Esquecido e abandonado, o quartel de São Brás, desactivado em 1993 pelo Estado-Maior do Exército, foi construído no mesmo local onde houvera um fortim consagrado ao mesmo santo, nos

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (130)

BAI NO BATALHA Esta expressão, genuína e tipicamente tripeira, já só se ouve da boca dos habitantes entrados, ou quase, na terceira idade. Como essa, ouvia-se amiúde uma outra, também com a mesma referência: “Pois… e o dezassete vai para

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (130)

BAI NO BATALHA Esta expressão, genuína e tipicamente tripeira, já só se ouve da boca dos habitantes entrados, ou quase, na terceira idade. Como essa, ouvia-se amiúde uma outra, também com a mesma referência: “Pois… e o dezassete vai para

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (129)

O MERCADO DE SÃO SEBASTIÃO O Porto é uma cidade para ser percorrida a pé, caminhando, caminhando, e os seus encantos são muitos, publicitados em reportagens, em livros, em sites e em blogues. Andando pelas ruas da zona histórica, observando,

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (129)

O MERCADO DE SÃO SEBASTIÃO O Porto é uma cidade para ser percorrida a pé, caminhando, caminhando, e os seus encantos são muitos, publicitados em reportagens, em livros, em sites e em blogues. Andando pelas ruas da zona histórica, observando,

UMA CARTA DO PORTO – POR JOSÉ MAGALHÃES (121)

CAMÉLIAS, AS FLORES DO NOSSO INVERNO Já aqui disse algumas vezes da minha paixão pelas camélias, tendo já, em 5 de Março do ano passado, escrito sobre elas (recomendo a leitura, aqui). As Japoneiras dão flores, na sua maioria sem

UMA CARTA DO PORTO – POR JOSÉ MAGALHÃES (121)

CAMÉLIAS, AS FLORES DO NOSSO INVERNO Já aqui disse algumas vezes da minha paixão pelas camélias, tendo já, em 5 de Março do ano passado, escrito sobre elas (recomendo a leitura, aqui). As Japoneiras dão flores, na sua maioria sem

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (118)

A CAPELA DE MONTEBELO Subindo a rua do Amparo, vindo da Praça das Flores, encontramos à nossa esquerda a rua de Câmara Pestana. Essa rua, que já se chamou de Montebelo, tem, no seu ponto mais alto, uma das mais

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (118)

A CAPELA DE MONTEBELO Subindo a rua do Amparo, vindo da Praça das Flores, encontramos à nossa esquerda a rua de Câmara Pestana. Essa rua, que já se chamou de Montebelo, tem, no seu ponto mais alto, uma das mais

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (106)

O ESTÁDIO SALAZAR Em 1969 construíram um estádio para jogos na cidade do Porto, e fizeram-no em Ramalde. A sua inauguração, ocorreu no dia 27 de Abril de 1969 (data do 80º aniversário de Salazar), com a presença do Chefe

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (106)

O ESTÁDIO SALAZAR Em 1969 construíram um estádio para jogos na cidade do Porto, e fizeram-no em Ramalde. A sua inauguração, ocorreu no dia 27 de Abril de 1969 (data do 80º aniversário de Salazar), com a presença do Chefe

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (95)

 PARANHOS, E MAIS PARA LÁ  Paranhos é a segunda maior Freguesia da cidade do Porto. Foi integrada na cidade em 1837, passando a pertencer ao Bairro Oriental do Porto. Até essa altura, o antigo Couto de Paranhos, pertença da Igreja

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (95)

 PARANHOS, E MAIS PARA LÁ  Paranhos é a segunda maior Freguesia da cidade do Porto. Foi integrada na cidade em 1837, passando a pertencer ao Bairro Oriental do Porto. Até essa altura, o antigo Couto de Paranhos, pertença da Igreja

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (92)

SOLSTÍCIO DE VERÃO O dia mais comprido e a noite mais curta, estão a chegar. Com eles trazem os dias mais quentes, as noites ainda mais animadas, a alegria incontida de uns e de outros, o descanso ao sol entremeado

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (92)

SOLSTÍCIO DE VERÃO O dia mais comprido e a noite mais curta, estão a chegar. Com eles trazem os dias mais quentes, as noites ainda mais animadas, a alegria incontida de uns e de outros, o descanso ao sol entremeado