Posts Tagged: galego

A GALIZA COMO TAREFA – leitura de livros portugueses nos s. XVI-XVIII (i)- Ernesto V. Souza

Há anos e de quando em quando, numas dessas séries de diálogos e debates pela internet e ao vivo, tenho ido comentando, com certo eco e surpresa nos meus interlocutores galegos e portugueses, que a leitura dos livros portugueses nos

A GALIZA COMO TAREFA – leitura de livros portugueses nos s. XVI-XVIII (i)- Ernesto V. Souza

Há anos e de quando em quando, numas dessas séries de diálogos e debates pela internet e ao vivo, tenho ido comentando, com certo eco e surpresa nos meus interlocutores galegos e portugueses, que a leitura dos livros portugueses nos

A NOSSA PENÍNSULA – 12 – SAUDADE –  por Carlos Loures

  Saudade é palavra que tem ocupado muito espaço na memória colectiva dos portugueses. Desde as cantigas de amigo, de amor, de escárnio e maldizer, sob a roupagem arcaica de soidad, que saudade se transformou num ícone cultural que viria

A NOSSA PENÍNSULA – 12 – SAUDADE –  por Carlos Loures

  Saudade é palavra que tem ocupado muito espaço na memória colectiva dos portugueses. Desde as cantigas de amigo, de amor, de escárnio e maldizer, sob a roupagem arcaica de soidad, que saudade se transformou num ícone cultural que viria

EVENTO – EM QUE MOMENTO O GALEGO – PORTUGUÊS SE TORNOU UM IDIOMA UNIVERSAL? – por Carlos Loures

Serpenteando, avançando, recuando, tenho estado a recapitular temas da língua e da literatura galego-portuguesa que já aqui tinha abordado e que me parece oportuno recordar. Continuo hoje essa tarefa, há dias iniciada e respeitando o espírito da iniciativa lançada pelo

EVENTO – EM QUE MOMENTO O GALEGO – PORTUGUÊS SE TORNOU UM IDIOMA UNIVERSAL? – por Carlos Loures

Serpenteando, avançando, recuando, tenho estado a recapitular temas da língua e da literatura galego-portuguesa que já aqui tinha abordado e que me parece oportuno recordar. Continuo hoje essa tarefa, há dias iniciada e respeitando o espírito da iniciativa lançada pelo

EVENTO – O MOMENTO HISTÓRICO EM QUE A DERIVA DO GALEGO-PORTUGUÊS COMEÇOU – por Carlos Loures

  Prossigo a recapitulação do que antes disse sobre as questões históricas, literárias e, evidentemente, linguísticas ligadas ao idioma galego-português. Estou a fazê-lo, convenhamos, de uma forma um pouco errática – à medida que vou consultando o que escrevi e

EVENTO – O MOMENTO HISTÓRICO EM QUE A DERIVA DO GALEGO-PORTUGUÊS COMEÇOU – por Carlos Loures

  Prossigo a recapitulação do que antes disse sobre as questões históricas, literárias e, evidentemente, linguísticas ligadas ao idioma galego-português. Estou a fazê-lo, convenhamos, de uma forma um pouco errática – à medida que vou consultando o que escrevi e

EVENTO – PORTUGUÊS E GALEGO – O FIM DA DERIVA? por Carlos Loures

  As sínteses têm a sua utilidade, mas são perigosas. O querer dizer em poucas palavras o que só pode ser dito em muitas, implica o risco de haver más interpretações e, por vezes, obriga depois a explicações suplementares. Gasta-se

EVENTO – PORTUGUÊS E GALEGO – O FIM DA DERIVA? por Carlos Loures

  As sínteses têm a sua utilidade, mas são perigosas. O querer dizer em poucas palavras o que só pode ser dito em muitas, implica o risco de haver más interpretações e, por vezes, obriga depois a explicações suplementares. Gasta-se