Posts Tagged: tasca do bairro

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (186)

RAUL BRANDÃO VEIO JANTAR CONNOSCO Na passada segunda-feira, 12 de Junho deste venturoso ano de 2017, pouco passava das 20h30, teve início, na Tasca do Bairro, o nosso local costumeiro para estas aventuras, o jantar convívio cujo convidado de honra

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (186)

RAUL BRANDÃO VEIO JANTAR CONNOSCO Na passada segunda-feira, 12 de Junho deste venturoso ano de 2017, pouco passava das 20h30, teve início, na Tasca do Bairro, o nosso local costumeiro para estas aventuras, o jantar convívio cujo convidado de honra

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (168)

JANTAR LITERÁRIO NA FOZ DO DOURO, PORTO   – CAMILO, EÇA e RAMALHO VIERAM JANTAR CONNOSCO – ACONTECEU no DIA 3 de FEVEREIRO, na TASCA DO BAIRRO Por iniciativa da Associação Cultural “O PROGRESSO DA FOZ” e da “FOZ LITERÁRIA”, realizou-se,

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (168)

JANTAR LITERÁRIO NA FOZ DO DOURO, PORTO   – CAMILO, EÇA e RAMALHO VIERAM JANTAR CONNOSCO – ACONTECEU no DIA 3 de FEVEREIRO, na TASCA DO BAIRRO Por iniciativa da Associação Cultural “O PROGRESSO DA FOZ” e da “FOZ LITERÁRIA”, realizou-se,

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (65)

E O PORTO NÃO PÁRA! AGORA SIM, O NATAL ESTÁ A CHEGAR Se fecho os olhos e penso na minha cidade, é nesta altura que a vejo, com as ruas iluminadas e cheias de gente, com as músicas natalícias a

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (65)

E O PORTO NÃO PÁRA! AGORA SIM, O NATAL ESTÁ A CHEGAR Se fecho os olhos e penso na minha cidade, é nesta altura que a vejo, com as ruas iluminadas e cheias de gente, com as músicas natalícias a

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (36)

O PIRATA AZUL “Pirata Azul” é nome de barco. Ao vê-lo, há cerca de um mês, uma avalanche de memórias, atabalhoadas e difusas, assaltaram-me de supetão. O “Pirata” estava ali, ancorado, mesmo à minha frente, e a seu lado, o

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (36)

O PIRATA AZUL “Pirata Azul” é nome de barco. Ao vê-lo, há cerca de um mês, uma avalanche de memórias, atabalhoadas e difusas, assaltaram-me de supetão. O “Pirata” estava ali, ancorado, mesmo à minha frente, e a seu lado, o

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (34)

FUI TURISTA NA MINHA CIDADE Tem dias em que a vontade que me dá é a de passear pela cidade e fazer coisas diferentes. Na segunda-feira passada, foi um dia assim. Aproveitei o último dia das férias da Páscoa do

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (34)

FUI TURISTA NA MINHA CIDADE Tem dias em que a vontade que me dá é a de passear pela cidade e fazer coisas diferentes. Na segunda-feira passada, foi um dia assim. Aproveitei o último dia das férias da Páscoa do