Posts Tagged: atlantico

CRISE DO COVID 19 E A INCAPACIDADE DAS SOCIEDADES NEOLIBERAIS EM LHE DAREM RESPOSTA – XLVI – OS ESTRAGOS DA CRISE – CORONAVÍRUS: EM QUE PAÍS DE “SABUJOS” VIVEMOS NÓS? – por YVES ROUCAUTE

Coronavirus: dans quel pays de “salauds” vivons-nous? por Yves Roucaute Atlantico, 30 de Abril de 2020 Selecção e tradução de Júlio Marques Mota      Yves Roucaute analisa a crise sanitária do coronavírus, a gestão da pandemia pelo Governo e

CRISE DO COVID 19 E A INCAPACIDADE DAS SOCIEDADES NEOLIBERAIS EM LHE DAREM RESPOSTA – XLVI – OS ESTRAGOS DA CRISE – CORONAVÍRUS: EM QUE PAÍS DE “SABUJOS” VIVEMOS NÓS? – por YVES ROUCAUTE

Coronavirus: dans quel pays de “salauds” vivons-nous? por Yves Roucaute Atlantico, 30 de Abril de 2020 Selecção e tradução de Júlio Marques Mota      Yves Roucaute analisa a crise sanitária do coronavírus, a gestão da pandemia pelo Governo e

DA DEGENERESCÊNCIA DO ESTADO-NAÇÃO AO TRATADO DE AIX-LA-CHAPELLE DE 22 DE JANEIRO DE 2019 – uma pequena série de textos – TEXTO Nº 6 – AS RELAÇÕES FRANCO-ALEMÃES PORQUE É QUE O TRATADO DE AIX-LA-CHAPELLE AGRAVARÁ O DESEQUILÍBRIO ENTRE A FRANÇA E A ALEMANHA, por ROLAND HUREAUX

  Roland Hureaux, Pourquoi le Traité d’Aix-La-Chapelle aggravera le déséquilibre entre la France et l’Allemagne Atlantico, 28 de Janeiro de 2019 Selecção e tradução de Júlio Marques Mota   Apesar das aparências, o tratado de Aix-la-Chapelle é um duro golpe

DA DEGENERESCÊNCIA DO ESTADO-NAÇÃO AO TRATADO DE AIX-LA-CHAPELLE DE 22 DE JANEIRO DE 2019 – uma pequena série de textos – TEXTO Nº 6 – AS RELAÇÕES FRANCO-ALEMÃES PORQUE É QUE O TRATADO DE AIX-LA-CHAPELLE AGRAVARÁ O DESEQUILÍBRIO ENTRE A FRANÇA E A ALEMANHA, por ROLAND HUREAUX

  Roland Hureaux, Pourquoi le Traité d’Aix-La-Chapelle aggravera le déséquilibre entre la France et l’Allemagne Atlantico, 28 de Janeiro de 2019 Selecção e tradução de Júlio Marques Mota   Apesar das aparências, o tratado de Aix-la-Chapelle é um duro golpe

DA DEGENERESCÊNCIA DO ESTADO-NAÇÃO AO TRATADO DE AIX-LA-CHAPELLE DE 22 DE JANEIRO DE 2019 – uma pequena série de textos – TEXTO Nº 3 – TRATADO DE AIX-LA-CHAPELLE: ESTÁ A FRANÇA EM VIAS DE RENOVAR COM A ALEMANHA O ERRO DE FRANÇOIS MITTERRAND AQUANDO DA REUNIFICAÇÃO ALEMÃ? – por ÉDOUARD HUSSON e CHRISTOPHE BOUILLAUD

  No dia 22 janeiro de  2019, Emmanuel Macron e Angela Merkel assinam um novo tratado de cooperação e de integração franco-alemão em  Aix-la-Chapelle.   Traité d’Aix-la-Chapelle : la France est-elle en train de renouveler avec l’Allemagne l’erreur de François

DA DEGENERESCÊNCIA DO ESTADO-NAÇÃO AO TRATADO DE AIX-LA-CHAPELLE DE 22 DE JANEIRO DE 2019 – uma pequena série de textos – TEXTO Nº 3 – TRATADO DE AIX-LA-CHAPELLE: ESTÁ A FRANÇA EM VIAS DE RENOVAR COM A ALEMANHA O ERRO DE FRANÇOIS MITTERRAND AQUANDO DA REUNIFICAÇÃO ALEMÃ? – por ÉDOUARD HUSSON e CHRISTOPHE BOUILLAUD

  No dia 22 janeiro de  2019, Emmanuel Macron e Angela Merkel assinam um novo tratado de cooperação e de integração franco-alemão em  Aix-la-Chapelle.   Traité d’Aix-la-Chapelle : la France est-elle en train de renouveler avec l’Allemagne l’erreur de François

DA DEGENERESCÊNCIA DO ESTADO-NAÇÃO AO TRATADO DE AIX-LA-CHAPELLE DE 22 DE JANEIRO DE 2019 – uma pequena série de textos – TEXTO Nº 2. O TRATADO DE AIX-LA-CHAPELLE AFETA A SOBERANIA NACIONAL, por OLIVIER GOHIN.

    TEXTO Nº 2. O TRATADO DE AIX-LA-CHAPELLE AFETA A SOBERANIA NACIONAL   Olivier Gohin Fonte: Le Figaro, Olivier Gohin, 21/01/2019 Selecção e tradução de Júlio Marques Mota   Várias cláusulas do tratado não estão em conformidade com a Constituição, argumenta

DA DEGENERESCÊNCIA DO ESTADO-NAÇÃO AO TRATADO DE AIX-LA-CHAPELLE DE 22 DE JANEIRO DE 2019 – uma pequena série de textos – TEXTO Nº 2. O TRATADO DE AIX-LA-CHAPELLE AFETA A SOBERANIA NACIONAL, por OLIVIER GOHIN.

    TEXTO Nº 2. O TRATADO DE AIX-LA-CHAPELLE AFETA A SOBERANIA NACIONAL   Olivier Gohin Fonte: Le Figaro, Olivier Gohin, 21/01/2019 Selecção e tradução de Júlio Marques Mota   Várias cláusulas do tratado não estão em conformidade com a Constituição, argumenta

DA DEGENERESCÊNCIA DO ESTADO-NAÇÃO AO TRATADO DE AIX-LA-CHAPELLE DE 22 DE JANEIRO DE 2019 – uma pequena série de textos – INTRODUÇÃO – TEXTO Nº 1. TRATADO DE AIX-LA-CHAPELLE: OS DOIS PAÍSES SELAM A SEPARAÇÃO ENTRE OS DIRIGENTES E OS SEUS RESPETIVOS POVOS.

  Introdução Faz amanhã três semanas que Angela Merkel e Macron assinaram em Aix-la-Chapelle um tratado que visa obviamente reforçar a sua preponderância política na União Europeia. No Jornal Económico, João Pedro Dias, investigador em assuntos europeus, a 29 de

DA DEGENERESCÊNCIA DO ESTADO-NAÇÃO AO TRATADO DE AIX-LA-CHAPELLE DE 22 DE JANEIRO DE 2019 – uma pequena série de textos – INTRODUÇÃO – TEXTO Nº 1. TRATADO DE AIX-LA-CHAPELLE: OS DOIS PAÍSES SELAM A SEPARAÇÃO ENTRE OS DIRIGENTES E OS SEUS RESPETIVOS POVOS.

  Introdução Faz amanhã três semanas que Angela Merkel e Macron assinaram em Aix-la-Chapelle um tratado que visa obviamente reforçar a sua preponderância política na União Europeia. No Jornal Económico, João Pedro Dias, investigador em assuntos europeus, a 29 de

UMA CARTA DO PORTO – Por José Fernando Magalhães (132)

  PRAÇA DE D. JOÃO I O nome desta praça, localizada na freguesia de Santo Ildefonso, homenageia El-Rei D. João I (1358-1433), décimo rei de Portugal, e o primeiro da dinastia de Avis, a quem o Porto muito deve, que

UMA CARTA DO PORTO – Por José Fernando Magalhães (132)

  PRAÇA DE D. JOÃO I O nome desta praça, localizada na freguesia de Santo Ildefonso, homenageia El-Rei D. João I (1358-1433), décimo rei de Portugal, e o primeiro da dinastia de Avis, a quem o Porto muito deve, que

A LEI MACRON ARRANCADA A FERROS PELO MECANISMO 49-3: UMA MAIORIA EM RUINAS, OPOSIÇÃO INAUDÍVEL, QUE CENÁRIOS PARA O FIM DO MANDATO PRESIDENCIAL DE CINCO ANOS DE FRANÇOIS HOLLANDE? – de ATLANTICO – respostas recolhidas por GILLES BOUTIN e ALEXIS FRANCO – II

Selecção e tradução por Júlio Marques Mota  A lei Macron arrancada a ferros pelo mecanismo 49-3: uma maioria em ruinas, oposição inaudível, que cenários para o fim do mandato presidencial de cinco anos de François Hollande? Encurralado pelos contestatários internos

A LEI MACRON ARRANCADA A FERROS PELO MECANISMO 49-3: UMA MAIORIA EM RUINAS, OPOSIÇÃO INAUDÍVEL, QUE CENÁRIOS PARA O FIM DO MANDATO PRESIDENCIAL DE CINCO ANOS DE FRANÇOIS HOLLANDE? – de ATLANTICO – respostas recolhidas por GILLES BOUTIN e ALEXIS FRANCO – II

Selecção e tradução por Júlio Marques Mota  A lei Macron arrancada a ferros pelo mecanismo 49-3: uma maioria em ruinas, oposição inaudível, que cenários para o fim do mandato presidencial de cinco anos de François Hollande? Encurralado pelos contestatários internos

A LEI MACRON ARRANCADA A FERROS PELO MECANISMO 49-3: UMA MAIORIA EM RUINAS, OPOSIÇÃO INAUDÍVEL, QUE CENÁRIOS PARA O FIM DO MANDATO PRESIDENCIAL DE CINCO ANOS DE FRANÇOIS HOLLANDE? – de ATLANTICO – respostas recolhidas por GILLES BOUTIN e ALEXIS FRANCO – I

Selecção e tradução de Júlio Marques Mota A lei Macron arrancada a ferros pelo mecanismo 49-3: uma maioria em ruinas, oposição inaudível, que cenários para o fim do mandato presidencial de cinco anos de François Hollande? Encurralado pelos contestatários internos

A LEI MACRON ARRANCADA A FERROS PELO MECANISMO 49-3: UMA MAIORIA EM RUINAS, OPOSIÇÃO INAUDÍVEL, QUE CENÁRIOS PARA O FIM DO MANDATO PRESIDENCIAL DE CINCO ANOS DE FRANÇOIS HOLLANDE? – de ATLANTICO – respostas recolhidas por GILLES BOUTIN e ALEXIS FRANCO – I

Selecção e tradução de Júlio Marques Mota A lei Macron arrancada a ferros pelo mecanismo 49-3: uma maioria em ruinas, oposição inaudível, que cenários para o fim do mandato presidencial de cinco anos de François Hollande? Encurralado pelos contestatários internos

UMA CARTA DO PORTO – Por José Fernando Magalhães (73)

O GILREU No dizer carinhoso do meu caro amigo Joaquim Pinto da Silva, o Gilreu é uma ilha da cidade do Porto, melhor dizendo a única. Eu, diria mais, e com mais ênfase, é a ilha da Foz do Douro,

UMA CARTA DO PORTO – Por José Fernando Magalhães (73)

O GILREU No dizer carinhoso do meu caro amigo Joaquim Pinto da Silva, o Gilreu é uma ilha da cidade do Porto, melhor dizendo a única. Eu, diria mais, e com mais ênfase, é a ilha da Foz do Douro,

A VERDADEIRA RAZÃO PELA QUAL OS ESTADOS UNIDOS ESTÃO PREOCUPADOS TANTO COM A UCRÂNIA ENQUANTO SE ESTÃO COMPLETAMENTE NAS TINTAS PARA OS UCRANIANOS – entrevista de ATLANTICO a JEAN-BERNARD PINATEL

Selecção, tradução e nota introdutória por Júlio Marques Mota Nota introdutória Os Estados Unidos, desde o início da agitação na Ucrânia, que estão claramente posicionados contra os pró-russos. Um apoio que tem todos os ares dos tempos da guerra fria,

A VERDADEIRA RAZÃO PELA QUAL OS ESTADOS UNIDOS ESTÃO PREOCUPADOS TANTO COM A UCRÂNIA ENQUANTO SE ESTÃO COMPLETAMENTE NAS TINTAS PARA OS UCRANIANOS – entrevista de ATLANTICO a JEAN-BERNARD PINATEL

Selecção, tradução e nota introdutória por Júlio Marques Mota Nota introdutória Os Estados Unidos, desde o início da agitação na Ucrânia, que estão claramente posicionados contra os pró-russos. Um apoio que tem todos os ares dos tempos da guerra fria,

QUANDO OS CHINESES TOMAM PÉ NAS EMPRESAS OCIDENTAIS: O QUE ELES VÊM PROCURAR

Selecção e tradução por Júlio Marques Mota   Quando os Chineses tomam pé nas empresas ocidentais: o que eles vêm  procurar O protocolo de acordo entre Dongfeng e PSA Peugeot Citroën publicado, o construtor chinês entra no capital do grupo

QUANDO OS CHINESES TOMAM PÉ NAS EMPRESAS OCIDENTAIS: O QUE ELES VÊM PROCURAR

Selecção e tradução por Júlio Marques Mota   Quando os Chineses tomam pé nas empresas ocidentais: o que eles vêm  procurar O protocolo de acordo entre Dongfeng e PSA Peugeot Citroën publicado, o construtor chinês entra no capital do grupo

QUANDO OS CHINESES TOMAM PÉ NAS EMPRESAS OCIDENTAIS: O QUE ELES VÊM PROCURAR

Selecção e tradução por Júlio Marques Mota Quando os Chineses tomam pé nas empresas ocidentais: o que eles vêm  procurar O protocolo de acordo entre Dongfeng e PSA Peugeot Citroën publicado, o construtor chinês entra no capital do grupo francês.

QUANDO OS CHINESES TOMAM PÉ NAS EMPRESAS OCIDENTAIS: O QUE ELES VÊM PROCURAR

Selecção e tradução por Júlio Marques Mota Quando os Chineses tomam pé nas empresas ocidentais: o que eles vêm  procurar O protocolo de acordo entre Dongfeng e PSA Peugeot Citroën publicado, o construtor chinês entra no capital do grupo francês.

RETRATOS, IMAGENS, SÍNTESE DOS EFEITOS DA CRISE DA ZONA EURO SOBRE CADA PAÍS

Selecção, tradução e nota anexa por Júlio Marques Mota Diminuição do desemprego no sul da Europa: o que nos mostram os números sobre a fragilidade das economias em questão. Um texto de Philippe Murer Desde a baixa da taxa de

RETRATOS, IMAGENS, SÍNTESE DOS EFEITOS DA CRISE DA ZONA EURO SOBRE CADA PAÍS

Selecção, tradução e nota anexa por Júlio Marques Mota Diminuição do desemprego no sul da Europa: o que nos mostram os números sobre a fragilidade das economias em questão. Um texto de Philippe Murer Desde a baixa da taxa de

DEVEMOS PREPARARMOS-NOS PARA ORGANIZAR UM INCUMPRIMENTO DA DÍVIDA EUROPEIA? UM DEBATE ORGANIZADO PELO BLOG ATLANTICO

Mário Soares, antigo presidente da República Portuguesa, apelou a  12 de Abril, a um incumprimento  sobre a   dívida pública portuguesa. É também declarou ser necessário que acabe o programa de austeridade  altamente destruidor que é imposto pelo FMI e pela

DEVEMOS PREPARARMOS-NOS PARA ORGANIZAR UM INCUMPRIMENTO DA DÍVIDA EUROPEIA? UM DEBATE ORGANIZADO PELO BLOG ATLANTICO

Mário Soares, antigo presidente da República Portuguesa, apelou a  12 de Abril, a um incumprimento  sobre a   dívida pública portuguesa. É também declarou ser necessário que acabe o programa de austeridade  altamente destruidor que é imposto pelo FMI e pela

RETRATOS, IMAGENS, SÍNTESE DOS EFEITOS DA CRISE DA ZONA EURO SOBRE CADA PAÍS

Selecção e tradução por Júlio Marques Mota Grécia: o FMI reconhece que o primeiro plano de resgate resultou em significativas falhas “   A Comissão encarregada do euro dessolidarizou-se do mea culpa    assumido pelo  Fundo  Monetário  Internacional, afirmando: “Estamos em

RETRATOS, IMAGENS, SÍNTESE DOS EFEITOS DA CRISE DA ZONA EURO SOBRE CADA PAÍS

Selecção e tradução por Júlio Marques Mota Grécia: o FMI reconhece que o primeiro plano de resgate resultou em significativas falhas “   A Comissão encarregada do euro dessolidarizou-se do mea culpa    assumido pelo  Fundo  Monetário  Internacional, afirmando: “Estamos em